O que virou aquele notebook com Windows XP cheio de malwares que foi vendido como uma “obra de arte”? | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Informática » O que virou aquele notebook com Windows XP cheio de malwares que foi vendido como uma “obra de arte”?

O que virou aquele notebook com Windows XP cheio de malwares que foi vendido como uma “obra de arte”?

Compartilhe

Algumas coisas que acontecem no mundo da tecnologia são tão surreais, que chega a ser difícil de acreditar que realmente aconteceram.

Eu não sei se você se lembra disso, mas… em 2019, um velho notebook Samsung foi leiloado como se fosse uma obra de arte. E, na verdade, era sim uma peça artística criada por Guo o Dong. A peculiaridade dessa obra é que aquele velho portátil com Windows XP estava infectado com seis das ameaças informáticas mais perigosas da história.

A obra “A Persistência do Caos” foi vendida por nada menos que US$ 1.345 milhão em um leilão online, e o comprador na época teve que assinar um documento declarando que estava adquirindo uma “obra de arte”, e não um software malicioso, algo que é ilegal nos Estados Unidos.

Sério… qual é o sentido disso?

 

 

 

Do WannaCry ao ILoveYou

No meio das seis das mais sérias ameaças informáticas, estava o ransomware “WannaCry”, que tirou o sono de meio mundo. O Windows XP era muito suscetível a ele, já que essa versão do sistema operacional não tinha suporte para protegê-lo dessa praga.

O problema foi tão sério, que a Microsoft se viu obrigada a lançar uma atualização para o Windows XP três anos depois do fim do seu suporte, só para cuidar do “WannaCry”.

O notebook também conta com o vírus “ILoveYou”, que chegava por e-mail e afetou mais de 50 milhões de computadores ao redor do mundo na década de 2000, causando prejuízos financeiros que custaram mais de US$ 5 milhões.

A obra “A Persistência do Caos” ainda contava com o MyDoom (ou “[email protected]ºmm”, “Novarg”, “MiMail.R” e “Shimgapi”), ameaça que até hoje ostenta o recorde de malware que mais rápido se propagou por e-mail na história.

Completam a vitamina de maldade o “Dark Tequila”, especializado em fraude financeira, o “Sobig”, que afetou muitos computadores com Windows entre 2002 e 2003 e o “BlackEnergy”, usado em 2007 para ataques DDoS e ransomware, responsável pela queda das empresas de energia elétrica na Ucrânia em 2015.

 

 

 

Qual é a necessidade dessa compra?

Eu sei que você não está sozinho nessa pergunta. E não sei se vou conseguir respondê-la de forma satisfatória nos próximos minutos.

Mas tudo o que posso dizer é estamos diante de um típico caso de dinheiro jogado fora com algum tipo de excentricidade absurda. É um claro caso de uma pessoa que não sabe mais como ou onde investir o dinheiro que tem, e acaba jogando tudo fora na primeira bobagem que aparece pela frente.

Pessoas que poderiam muito bem investir no TargetHD.net, um blog de tecnologia que ajuda os usuários a resolver os seus principais problemas com os dispositivos de tecnologia que possui. Um dinheiro que seria investido na pessoa certa, ou seja, eu.

Mas como algumas pessoas são muito sem noção na hora de colocar os seus milhões de dólares, tudo o que me resta é o protesto no final deste post. Um dinheiro que poderia ajudar a muitas vidas (inclusive a minha), mas que vira de forma bizarra um notebook velho e cheio de ameaças cibernéticas.

A única obra de arte que vejo em tudo isso foi no indivíduo que conseguiu colocar seis ameaças virtuais no mesmo computador. Aqui, estou aplaudindo de pé essa façanha.


Compartilhe
@oEduardoMoreira