O NES Classic Mini conseguiu a façanha de ser o console de videogames mais vendido nos EUA no mês de junho de 2018. E isso fala muita coisa sobre o momento atual do mercado como um todo, e sobre o comportamento do consumidor.

Antes de dissertar sobre o tema, é importante lembrar que, independente do fato dos números serem ou não divulgados, o NES Classic Mini precisou de APENAS DOIS DIAS de todo o mês de junho para superar todos os seus concorrentes em vendas. E estamos falando de produtos do porte de PS4, Xbox One, Nintendo Switch e derivados.

É claro que o preço cobrado pelo NES Classic Mini nos EUA (US$ 59) ajuda e muito nessa equação. Mesmo assim… o feito é impressionante.

A moda retrô está em alta, e não apenas no mundo dos videogames. Na cultura pop como um todo, as décadas de 1980 e 1990 são resgatadas com muita força, tal e como fizemos um dia com a década de 1970. Hoje, temos reboots e revivals de séries e filmes com 20 ou 30 anos de lançamento. É uma prova que a criatividade morreu e está enterrada há muito tempo (ou melhor, a criatividade migrou para Netflix, Amazon, Hulu e HBO).

No caso dos videogames, a moda retrô se valeu do próprio comportamento do usuário que buscou os emuladores para jogar os games do passado em seus computadores. Sem falar que boa parte dos consumidores de videogames hoje são os adultos que podem investir o dinheiro do seu trabalho suado em videogames que, antes, eram presente dos pais ou frutos de troca com amigos.

Mas a melhor parte de tudo isso é ver que a indústria de videogames de hoje está cheia de alternativas. Temos formatos de videogames para todos os gostos: os consoles de nova geração, para o público jovem, o Nintendo Switch, para quem quer jogar em qualquer lugar, os eSports, que se tornaram profissão para os mais dedicados, os games para PCs, que podem representar o futuro do setor (aposentando os consoles de vez, e eu acredito que isso vai acontecer no futuro – ou pelo menos o videogame que conhecemos hoje vai mudar de formato e conceito), e os consoles retrô, para os mais nostálgicos.

 

 

A Nintendo abriu um filão de mercado, e está sabendo explorar isso melhor que as demais. Só agora vemos iniciativas da concorrência com formatos similares (Mega Drive Mini, Neo Geo Mini, etc) e, mesmo assim, sem ter o mesmo charme da Big N, que manteve aquilo que deu certo com o SNES Classic Mini. Quem sabe podemos ver um Nintendo 64 Mini algum dia, o que fecharia com chave de ouro esse conceito do retrô.

Não podemos negar que o NES Classic Mini foi um grande acerto da Nintendo, mesmo com eventuais limitações técnicas que o produto possui. Limitações essas que já foram superadas pelas mentes mais habilidosas. E que, por incrível que pareça, a Nintendo não abre objeção sobre isso.

Então… longa vida aos consoles retrô. Longa vida ao Mini. Pois o Mini é legal!