O uso do WhatsApp no mundo corporativo pode ser um erro gigantesco Press "Enter" to skip to content
Início » Internet » O uso do WhatsApp no mundo corporativo pode ser um erro gigantesco

O uso do WhatsApp no mundo corporativo pode ser um erro gigantesco

Compartilhe

Não são poucas as pessoas que tiveram problemas no trabalho por causa do WhatsApp. Do envio de fotos comprometedoras até o vazamento de dados não autorizados, é preciso repensar o uso da plataforma no ambiente profissional, pois seguir do jeito que está é um erro gigantesco.

As empresas utilizam o WhatsApp como canal de comunicação pela agilidade que a plataforma oferece, mas também pela praticidade implícita no aplicativo, já que (quase) todo mundo usa esse mesmo software. Porém, em casos pontuais, o que veio para ajudar pode entregar problemas gigantescos.

 

 

 

Desordem e caos

 

Não conseguir se desconectar do trabalho é apenas uma das grandes desvantagens do uso do WhatsApp no ambiente de trabalho. A monitorização e documentação de arquivos, agendas e tarefas é outro obstáculo a ser superado, pois o cenário de caos se estabelece no meio de tantas comunicações, e não dá para se manter a ordem em conversas individuais e tantos grupos ativos.

O WhatsApp foi pensado na comunicação rápida através do smartphone, e não para organizar e documentar itens. Há ferramentas específicas que oferecem mais vantagens, como Slack, Microsoft Teams ou Skype Business. É muito fácil perder a informação ou documento em um dispositivo móvel, sem falar que o WhatsApp não armazena a informações em seus servidores ou não permite o download do conteúdo depois de um tempo.

Sem falar que mesclar o canal de comunicação empresarial com o da vida pessoal historicamente nunca foi uma grande ideia. É muito fácil misturar as bolas, e um contrato ir parar na conta de uma ‘amiga especial’, e um nude acabar no grupo do time de trabalho (onde o seu chefe faz parte do grupo).

Além disso, existem práticas que violam a privacidade dos clientes para economizar tempo, como os prints de telas de computadores onde aparecem dados pessoais dos clientes, algo pouco profissional, pois esses dados podem parar em outro lugar.

Leve também em consideração as redes utilizadas para o compartilhamento dessas informações, como por exemplo o WiFi da empresa ou uma rede pública compartilhada, além do nível de proteção dos dispositivos envolvidos no processo.

 

 

 

Quando o trabalho persegue você até a sua casa

 

 

Quando enviam um e-mail para você fora da jornada de trabalho, você tem essa desculpa perfeita de não responder pois não entrou em horário comercial. Mas no caso do WhatsApp, seu chefe, clientes e fornecedores podem escrever para você a qualquer momento: basta encontrarem o seu status como online.

Todo mundo precisa de um tempo de descanso e desconexão, mas em uma sociedade onde muita gente trabalha em casa ou no shopping, esse direito fica quase incompatível com as atividades profissionais. Se o seu smartphone pessoal é o mesmo de trabalho, mesmo que você não queira atender, você é obrigado a ver o tempo todo as conversas de amigos e familiares, e essas não podem deixar de ser atendidas. E o outro lado da moeda é: você está em uma reunião de trabalho, e a sua mãe telefona para você. O que fazer?

Os menos organizados com a vida digital certamente vão ter problemas, pois vão agir pelo impulso em atender o telefone. Mesmo que você esteja fazendo algo muito importante, a tendência é que você dê uma olhada no telefone para ver quem é. Sem falar que a maioria dos usuários não usam qualquer tipo de identificador do tipo de mensagens que está chegando naquele momento.

Por fim, o WhatsApp pode ser utilizado como uma evidência legal, pois o envio de documentação e qualquer comunicação de negócio estabelecida através dessa plataforma pode ser utilizados como evidências de um negócio concluído ou não, com consequências judiciais.

Porém, a legislação envolvendo o WhatsApp ainda precisa avançar muito, pois essas conversas podem ser facilmente manipuláveis. É preciso saber quando utilizar a ferramenta, e ter consciência sobre as suas virtudes e potenciais prejuízos.


Compartilhe