Compartilhe

Quem disse que blogueiro de tecnologia tem férias de final de ano?

A OPPO, sem se importar com pausa de Natal e Ano Novo, apresentou lá fora os seus novos smartphones de linha média premium, o OPPO Reno3 e OPPO Reno3 Pro. Já escrevi sobre os modelos lá no TargetHD.net, apresentando as suas principais características, e nesse post eu vou dar aquela primeira opinião básica.

Aquela opinião que ninguém pediu, mas que a internet precisa.

 

 

Tchau, aleta… oi, buraco na tela… volta, notch em V…

 

 

As mudanças para o modelo anterior são acentuadas, e é curioso ver um fabricante dando “um passo para trás” em um recurso. O Reno2 contava com a aleta de tubarão para a câmera frontal, mas a OPPO decidiu voltar para o notch em forma de V (Reno3) e apostar no furo da tela com a tecnologia Infinity-O Display (Reno3 Pro).

Será que a aleta não foi bem vinda? Ou a mudança foi para equilibrar o preço final do dispositivo, que precisava ser competitivo para integrar a segunda principal diferença dos novos modelos?

 

 

5G se popularizando para as “massas”

 

A chegada do 5G nessa linha de produto é um sinal claro dos esforços dos fabricantes de telefonia móvel para popularizar o mais depressa possível essa nova tecnologia de rede de dados. É aqui que as marcas entendem que podem fazer as vendas prosperarem.

Muito mais útil do que câmeras retráteis e sensores fotográficos com números inflados (convenhamos: qualquer smartphone consegue fazer uma foto minimamente razoável para publicação nas redes sociais) é poder oferecer o 5G o quanto antes para os mercados que já contam com esse tipo de conectividade.

Ou seja, no Brasil, os novos OPPO Reno3 e Reno3 Pro serão dispositivos para alguns dizerem que já contam com um telefone 5G, mas usar as novas redes? Sabe lá Deus quando (e desconfio que nem ele sabe, pois a galera da Anatel não deve ouví-lo como a gente gostaria).

 

 

Poucas diferenças nas câmeras

 

 

Até poder testar os dispositivos, não tem muito o que dizer sobre as câmeras do OPPO Reno3 e do OPPO Reno3 Pro. Existem diferenças nas resoluções dos sensores (o que não quer dizer nada), e a aposta em comum na inteligência artificial para melhorar a qualidade das fotos.

Tudo leva a crer que aqui teremos um trabalho bem feito em todos os sensores, e qualquer usuário que gosta de compartilhar fotos nas redes sociais devem se dar bem com um produto como esse. Mas isso, na teoria: vamos esperar pelos primeiros reviews.

 

 

Vale a pena ir atrás dele?

 

Tanto o OPPO Reno3 como o OPPO Reno3 Pro são interessantes. Tenho curiosidade em ver como está o desempenho desse novo processador da MediaTek, o Dimensity 1000L. Já o Snapdragon 765G é bem promissor para as tarefas mais pesadas.

Por outro lado, sem o 5G aqui no Brasil, pode ser um pouco de exagero ir atrás desses dois smartphones nesse momento, pelo menos por enquanto. Não me entenda mal: são dois dispositivos muito promissores em todos os aspectos técnicos, mas o principal apelo desses modelos é mesmo a conectividade de rede de nova geração.

Quem sabe em 2021 e, ainda assim, a OPPO deve ter novas gerações desses dispositivos.


Compartilhe