smartphones

Faz tempo que o telefone móvel deixou de ser um dispositivo para realizar chamadas telefônicas. Hoje, fazemos de tudo com ele. Literalmente.

Mutias vezes, os smartphones nascem para outras finalidades: repelir mosquitos, integrar sensores moleculares, substituir os consoles portáteis, outras finalidades que vão além da comunicação.

Esse post mostra alguns exemplos desses dispositivos diferenciados.

 

 

Changhong H2, com detector molecular

 

 

Sua principal característica é contar com um sensor SCiO que analisa a composição molecular de objetos e pessoas. Basta aproximar o smartphone para saber a composição nutricional de um alimento, ou o índice de massa corpórea do usuário.

 

 

CAT S60, com câmera térmica

 

 

Os telefones da Caterpillar são famosos por serem resistentes e prontos para os ambientes mais hostis. Mas além de tudo isso, o CAT S60 conta com uma câmera térmica, que detecta as áreas com dissonância de temperatura.

 

 

Holofone Phablet, com projetor de bolso

 

 

O Samsung Galaxy Beam já fez isso, mas o Holofone Phablet dá um passo além com um projetor de 35 lumens, que entrega uma projeção equivalente a uma tela de até 100 polegadas.

 

 

LG K7i, com repelente de mosquitos

 

 

O LG K7i conta ocm uma tecnologia de ultrassom para repelir mosquitos, do mesmo jeito que produtos especializados. Mutios duvidam que ele realmente funciona como promete.

 

Nokia N-Gage, que quis ser videogame portátil

 

 

Jamais devemos nos esquecer do tempo em que a Nokia era obcecada em substituir o Game Boy com o N-Gage (e outros). O produto deixou muito a desejar, pois como telefone conseguia ser ainda pior.

 

 

Samsung SCH-B360, que quis ser TV

 

 

Entre os primeiros smartphones que carregavam um sistema de TV integrada, o Samsung SCH-360 era um dos mais emblemáticos, mas era mais um que não conseguia fazer nada direito.