Início » Smartphones » Pague US$ 1.800 em um smartphone que não vem com carregador ou S Pen

Pague US$ 1.800 em um smartphone que não vem com carregador ou S Pen

Compartilhe

Mais uma vez: isso é ridículo.

Não tenho críticas a fazer sobre o Samsung Galaxy Z Fold3. Ele tem tudo para ser considerado um dos smartphones mais destacados de 2021, até mesmo pelo seu formato com tela dobrável que é atraente para muita gente.

O que é digno de nota (e crítica) é a postura da Samsung, que não entrega uma experiência completa de uso para clientes que estão pagando BEM CARO neste e em outros dispositivos da marca.

Comprar um smartphone que lá fora custa US$ 1.800 e não vem com carregador e caneta S Pen é risivelmente ridículo. Uma vergonha. Patético!

Mas…

 

 

 

Pelo visto, quem compra não se importa com isso

 

 

Tudo leva a crer que existe outro motivo para que a Samsung, a Apple e outros fabricantes de tecnologia removam os carregadores do kit de venda dos smartphones, que vai além da suposta sustentabilidade ou aumento da margem de lucro dessas marcas.

O motivo oculto está no entendimento comum dos fabricantes que os usuários que compram esses caríssimos smartphones não estão muito preocupados se vão investir mais um pouco de dinheiro na compra dos acessórios que deveriam vir na caixa, mas não estão inclusos no kit de venda.

Ou seja, quem pagou US$ 1.800 no Samsung Galaxy Z Fold3 pode muito bem pagar mais US$ 150 para comprar um carregador rápido e uma caneta S Pen para obter uma experiência completa com o produto.

O que resulta nos quase US$ 2.000 cobrados pela mesma Samsung pelo Galaxy Z Fold2.

Só eu percebi a manobra da Samsung nesse caso?

 

 

 

No futuro, não vamos receber nem mesmo o smartphone

 

 

Está mais do que claro que a remoção de carregadores e fones de ouvido não resultam em uma efetiva redução de materiais descartados no meio ambiente. São itens pequenos demais para impactar na produção, e seu descarte no meio ambiente pode ser melhor controlado com políticas e programas de reciclagem que os próprios fabricantes dos dispositivos podem implementar.

Se a coisa continuar do jeito que está, o próximo item que será removido do kit de venda dos smartphones será o cabo de dados, e a desculpa será a mesma: “prezamos pela sustentabilidade, e todo mundo já tem um cabo USB-C em casa”.

E nem tiro uma parte da razão na afirmação acima, pois eu mesmo tenho vários cabos de dados que não uso.

Porém, retirar itens da caixa para vendê-los mais caros e em separado e, ao mesmo tempo, manter os preços dos smartphones elevados é uma tática no mínimo altamente questionável por parte dos fabricantes. E os lançamentos seguem caindo no lugar comum, com poucas inovações.

Até quando será assim?


Compartilhe