tirar foto

Com a febre atual das redes sociais, é muito comum ouvirmos comentários que mostram que aqueles que fotografam tudo não aproveitam a experiência que vivem. Pois bem, um estudo recente contradiz essa teoria.

A Associação Norte-Americana de Psicologia publicou um estudo que mostra que as pessoas que fotografam com maior frequência suas experiências são mais felizes que as que não fazem isso. Para o estudo, realizaram uma série de nove experimentos envolvendo 2 mil pessoas. Em cada um dos testes, os indivíduos deveriam realizar uma atividade e, dependendo do grupo de classificação que eles pertenciam, registrar ou não fotos do que viviam.

Depois disso, todos os participantes deveriam responder uma enquete especialmente desenvolvida para o estudo, para verificar o quanto eles desfrutaram da experiência e o nível de envolvimento de cada um na atividade. Na maioria dos casos registrados, aquelas pessoas que registraram fotos mostraram maiores níveis de felicidade, algo que estaria diretamente relacionado com o grau de envolvimento da pessoa (quanto mais envolvida, maior é a felicidade).

Os pesquisadores da Universidade do Sul da Califórnia e os professores de outras duas universidades que dirigiram o projeto afirmam que os efeitos não apenas se limitam à ação de registrar fotos, já que aqueles que revelaram terrem registrado “imagens mentais” dos momentos também se mostraram satisfeitos.

É claro que este é apenas um estudo com uma amostra pequena, dentro de um universo de milhões de pessoas que usam smartphones ao redor do planeta. Mesmo assim, ela serve para responder aos desavisados que ficam enchendo o saco quando você fica usando o Instagram e o Snapchat, pedindo para você “aproveitar a experiência”.

Até porque isso também é bem chato. Cada um deve aproveitar a sua vida (e suas respectivas experiências) do jeito que melhor lhe convir. Certo?

Via QUOAPA (.pdf)Eurekalert