Com a morte do Windows Phone, é certo dizer que o seu próximo smartphone ou será um iPhone, ou será um Android. No segundo caso, temos várias opções com dezenas de marcas no mercado, e o número de dispositivos só vai aumentar.

Porém, apesar de várias personalizações e aplicativos, a fragmentação do Android é um monstro (quase) invencível. Os fabricantes pouco ganham em atualizar os sistemas operacionais, e esses são motivos para muita gente não comprar um novo smartphone Android.

A Google bem sabe disso, e iniciou a implementação do Treble em todos os smartphones com Android 8.1 Oreo. O Treble permite aos fabricantes a atualização dos arquivos ‘core’ do Android, deixando de lado a interface para trazer as atualizações de segurança e funcionalidades básicas do update.

Isso significa que em 2019 veremos mais smartphones com o Treble.

Por outro lado, o Android One é outro elemento que pode mudar a cara do Android em um futuro a médio prazo.

Até agora, poucos smartphones apostavam no Android puro. Mas em 2017, vimos a Xiaomi apostando no Android One, e o Xiaomi Mi A1 foi um sucesso. Os usuários estão de saco cheio de interfaces customizadas que comprometem o desempenho, além de receber aplicativos que não fazem nada e que não podem ser desinstalados do dispositivo.

Agora, muitos fabricantes apostam no Android puro. A Nokia já lançou smartphones com o Android One. A BQ, também. E, mais recentemente, até a ASUS se renderam.

A melhor parte de tudo isso é que a festa dos fabricantes em querer vender mais e mais smartphones sem se importar com a possível obsolescência programada imposta pelas táticas comerciais pode acabar.

Além do usuário adorar o Android One, a combinação de fatores com um update de núcleo mais rápido pode fazer com que a imagem do sistema da Google melhore consideravelmente, com mais updates e melhor desempenho.

Logo, o seu smartphone Android vai melhorar. É uma questão de tempo.