Compartilhe

O coronavírus é uma realidade em nossas vidas, e por causa dele, somos obrigados a modificar alguns dos nossos velhos hábitos diários. Hábitos esses que deveriam ser abandonados antes, e não apenas quando chega uma pandemia que não tem vacina contra ela.

Um desses hábitos e ficar tocando o rosto com as mãos, pois essa é uma das formas mais fáceis (e bestas) de ser infectado com o coronavírus (e com vários outros tipos de vírus que estão por aí). Porém, se você realmente tentou não fazer isso, já se deu conta que não tocar a mão no rosto é algo muito difícil.

Em algum momento vai ter um olho coçando, um nariz fungando, alguma parte da face tremendo ou outro motivo para você tocar o seu rosto com as mãos, mesmo que você não queira.

A boa notícia é que existe uma explicação para isso. A má notícia é que, cientificamente falando, é basicamente impossível evitar que você coloque a mão no rosto pelo menos uma vez ao longo de todo o seu dia.

 

 

 

É irresistível! Você não pode evitar!

 

 

Tocar o seu rosto em tempos de coronavírus é algo muito perigoso para a sua saúde. E isso é sério: o vírus pode entrar pelo seu nariz, boca e olhos. Logo, você deve manter essas suas mãozinhas bem limpas, e deixar essas mãos o mais longe possível do seu rosto.

Porém, fazer isso é muito mais difícil do que parece.

De acordo com Dacher Keltner (professor de psicologia da Universidade da Califórnia), isso acontece por causa da forma em que o ser humano evoluiu. Essa característica é algo que nossos ancestrais e alguns tipos de primatas faziam como forma de se acalmar. Mas tal regra não se aplica a nós, seres humanos de 2020.

Também colocamos a mão no rosto porque, em tempos antigos (muito antigos mesmo), nossos ancestrais tocavam a mão no rosto na hora de tentar chamar a atenção do sexo oposto para o acasalamento. Por isso é que ficamos passando a mão no nosso cabelo para deixar o nosso rosto mais visível, ou tocamos os lábios quando estamos interessados em alguém. É algo inconsciente e primitivo, mas próprio da espécie humana.

 

 

Agora, some tudo isso ao fato de tal gesto também ser identificado como uma ferramenta para ajudar a controlar as nossas emoções e aumentar a nossa capacidade de atenção, e pense: você já não colocou a mão na frente dos lábios para se concentrar em alguma coisa? E aquela estátua do Pensador de Rodin? Não diz nada para você?

Em resumo: graças ao nosso instinto de primatas, estamos muito mais expostos aos vírus que nos ameaçam hoje.


Compartilhe