Por que eu defendo o primeiro reajuste de preços do Amazon Prime da história | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Dicas de Compras » Por que eu defendo o primeiro reajuste de preços do Amazon Prime da história

Por que eu defendo o primeiro reajuste de preços do Amazon Prime da história

Compartilhe

Você, assinante do Amazon Prime, nem adianta reclamar. Até porque você não pode reclamar. Não é justo dessa vez.

Eu sei, eu entendo. Ninguém quer pagar mais caro por algo que era muito barato, principalmente em tempos em que a economia está absurdamente fragilizada. Porém, chegou a hora da Amazon aumentar os preços dos seus planos Prime, e eu estou aqui para defender a atitude da empresa, diferente do que normalmente faço com os aumentos da Netflix.

Não importa se nesse momento estou com sérios problemas para receber a devolução dos valores de um caro produto que comprei na varejista de Jeff Bezos. Eu entendi o plano da Amazon neste caso, e vou explicar para você por que o aumento é justo, mesmo que pareça abusivo.

 

 

 

É o primeiro aumento DA HISTÓRIA do Amazon Prime

De acordo com a própria Amazon, o serviço Prime desembarcou no Brasil em setembro de 2019. Ou seja, a empresa ficou DOIS ANOS E MEIO sem realizar reajustes no seu serviço, em um preço que, convenhamos, custava um nada pelo pacote de serviços integrados no plano.

Entrega de produtos com frete grátis, preços reduzidos e melhores condições de parcelamento, jogos no Twitch, um enorme conteúdo no Prime Video (com algumas parcerias que podem ser contratadas separadamente) e outros adicionais que tornam esse plano um dos mais robustos e completos do mercado.

Com o Prime, a Amazon conseguiu complicar a vida de muitos e-commerces nacionais que já estavam estabelecidos e contavam com serviços similares, mas apenas para oferecer frete grátis. A empresa de Jeff Bezos oferece o mesmo, mas com logística própria e ágil na maioria dos casos e, como bônus, uma série de conteúdos adicionais de filmes, séries de TV e games.

E, como cereja do bolo, ainda oferece todos os filmes da franquia James Bond? É claro que vou pagar o que eles pedem!

 

 

 

Sim, o plano mensal está bem mais caro…

Sobre os aumentos de valores de assinatura, eu até entendo o sentimento dos usuários, principalmente aqueles que estão pagando a assinatura mensal.

Uma mensalidade que sai de R$ 9,90 para R$ 14,90 representa um aumento de nada menos que 50%. Simples assim. E, para muitos assinantes, esse aumento não é justo, pois não representa sequer a inflação acumulada desde o lançamento do serviço no Brasil até agora.

Olhando para essa perspectiva, a Amazon age pior que a Netflix, já que aumentou os seus preços nessa proporção de uma tacada só. Ou seja, se repetir a fórmula a cada dois anos, não vai demorar muito para os assinantes questionarem a tática e a prática. Mas este é um problema de futuro, e quem tem que responder sobre isso até lá são as pessoas que tomam esse tipo de decisão na Amazon.

Por outro lado, dá para detectar perfeitamente qual é o objetivo da Amazon com este aumento de valores de assinatura do serviço Prime: fidelizar clientes.

 

 

 

O plano anual é o novo plano mensal

A Amazon foi esperta no movimento, e é isso o que eu defendo.

Se o plano mensal aumentou 50% do seu valor de uma única vez, o plano anual do Prime só aumentou míseros R$ 30, já que agora custa R$ 119.

Os mesmos R$ 119 que os assinantes mensais pagavam pelo mesmo serviço Prime.

Logo, fica fácil concluir que tudo o que a Amazon quer é ter um número maior de assinantes anuais, pois eles estão fidelizados com a empresa por um período maior, o que aumentam as chances de consumo de outros produtos e serviços atrelados à assinatura.

Logo, a Amazon não deve sofrer grandes perdas financeiras neste sentido. Pelo contrário: só sai ganhando, pois ou o assinante se mantém no plano mensal e paga a mais por isso, ou o assinante vai para o plano anual para pagar o mesmo valor que pagava no plano mensal.

Ou seja, não foi um aumento de preço indiscriminado, mas sim intencional.

Dá para imaginar que muitos usuários não vai desistir do Amazon Prime por causa do serviço Prime Video, por exemplo. É um dos planos mais baratos do mercado, com um catálogo bem interessante e que só cresce.

Logo, é de se aplaudir de pé a estratégia, pois ela tem enorme potencial para dar certo.

 

 

 

Vale a pena abandonar o Amazon Prime?

Sinceramente? Não. Vale a pena permanecer.

Para quem quer fazer uma enorme economia no serviço, vale muito a pena migrar para o novo plano anual do Prime. O acréscimo de apenas R$ 30 por ano se paga rapidamente no primeiro produto que você comprar na loja, ou quando decidir assistir todos os filmes da franquia James Bond.

Para quem vai permanecer no plano mensal, eu sinceramente não sei se vale a pena pagar basicamente a metade a mais para manter essa modalidade de pagamento. Tudo bem, R$ 60 a mais pode até ser pouco para você, e pagar esse dinheiro no seu caso seria algo bem fácil. Agora, só pelo prazer de economizar R$ 30 em qualquer coisa na vida já me dá a satisfação em tomar essa decisão.

E esse post basicamente termina com um “selo Julius” de qualidade.


Compartilhe
@oEduardoMoreira