Ir ao conteúdo

Por que o Pixel 5 decepcionou?

Compartilhe

Eu tentei aliviar com o Pixel 5, dar aquela passada de pano de leve como faz alguns torcedores palmeirenses com o Vanderlei Luxemburgo, mas não tem jeito: o novo smartphone do Google decepciona e muito.

Cobrar US$ 699 por um smartphone que praticamente não possui novidade alguma, tem um processador teoricamente MENOS POTENTE em relação ao modelo da geração anterior (para entregar um 5G “com boa relação custo-benefício” que não existe) e usar como grande argumento a manutenção das câmeras que, de fato, são espetaculares… não me parece um bom negócio.

Não estou dizendo que o smartphone é ruim. Só estou afirmando que ele decepciona por não oferecer grandes diferenças e novidades em relação ao modelo da geração anterior. Até entendo que em time que está ganhando não se mexe. Mas seria bem legal se o Google contratasse o Cristiano Ronaldo ou o Messi para agregar ao time vencedor.

Mas… não: resolvem colocar o Neymar com a desculpa que está oferecendo o 5G!

 

 

 

A melhor experiência Google vale US$ 699?

 

 

Pode até valer mais, dependendo do fabricante. Mas nesse caso, não sei se está valendo.

Vou repetir: o Pixel 5 não é um smartphone ruim. Ele só é decepcionante.

Antes que você me acuse de ser um recalcado (e sou mesmo, pois não tenho dinheiro para comprar um smartphone como esse), algumas coisas são bem interessantes no dispositivo, sendo que a principal delas é, sem sombra de dúvidas, a câmera.

O Google conseguiu por anos entregar verdadeiras maravilhas nas fotos registradas pelos dispositivos da família Pixel com apenas um sensor fotográfico. E melhorou essa experiência de forma considerável com mais de uma lente de câmera no Pixel 4. Como temos exatamente os mesmos sensores no Pixel 5, podemos esperar exatamente a mesma qualidade final nas fotos.

Sem falar que a lente grande angular do Pixel 5 tem qualidade semelhante ao sensor principal. Ou seja, pense na qualidade das fotos que é possível registrar com ele.

 

 

Além disso, o corpo do dispositivo é construído em alumínio e conta com recarga sem fio e recarga sem fio inversa, algo que você não vai encontrar em qualquer smartphone de linha média.

Por fim, a presença do Android 11 antes de todos acaba virando uma obrigação do Google, e não conto isso como vantagem. O surpreendente seria se ele chegasse com o Android 10. Logo, não dá para parabenizar o Pixel 5 por isso.

 

 

 

Quer economizar dinheiro? Vá para a geração anterior

 

 

A escolha pelo Snapdragon 765G (por causa do 5G) no lugar do Snapdragon 865 (que seria a atualização do Snapdragon 855 do modelo do ano passado) com uma capacidade de bateria maior vai resulta rem uma maior autonomia de uso e, consequentemente, na experiência de uso. O que mostra que, para o Google, a maioria dos usuários não pensa mais em performance, mas sim no bom desempenho com o menor preço.

Até entendo a teoria. Porém, esse smartphone está custando US$ 699. Tem um monte de fabricante chinês que oferece dispositivos com especificações semelhantes que chegam a custar em torno de US$ 349. Tá, podem não contar com construção de alumínio e recarga reversa, mas… quem se importa?

O Google está cobrando caro demais por um mais do mesmo. Se você quer economizar algum dinheiro, o Pixel 4 pode ser um ótimo negócio.


Compartilhe
Publicado emSmartphones