Por que Tony Stark morreu em Vingadores: Ultimato? | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Cinema e TV » Por que Tony Stark morreu em Vingadores: Ultimato?

Por que Tony Stark morreu em Vingadores: Ultimato?

Compartilhe

Tem gente que não se conforma até hoje com a morte do Tony Stark (aka Homem de Ferro) em Vingadores: Ultimato (e se você está me xingando porque recebeu spoiler de um filme que estreou em 2019, tudo o que eu tenho a dizer para você é VAI SE TRATAR!!!).

Eu mesmo sou um dos inconformados. Eu sei que a morte dele é o ponto final do seu arco de herói e do fim da montanha de dinheiro que a Marvel Studios tinha que pagar para ele a cada filme. Mas… precisava matar o cara?

Bom… só agora apareceram as explicações sobre por que foi Tony Stark e não Steve Rogers o homem a dar o estalo que eliminou Thanos.

 

 

 

Os motivos para a morte de Tony Stark

Quem deu as explicações foi ninguém menos que Joe Russo, um dos diretores de Vingadores: Ultimato (ao lado do seu irmão Anthony) em declaração recente ao Deadline.

Com a palavra, Joe Russo:

“Se você pensa no Capitão América como um personagem, você pensa: “Ok, o Capitão América morrendo é bastante óbvio”, certo? Isso é, você sabe, algo que ele faria baseado em como o personagem é. Ele é alguém que se ofereceu para ser cobaia em um experimento científico. Ele é um herói. Como se não houvesse muita complexidade lá. Pode ser emocionalmente impactante porque você gosta. Você sabe que ele é um personagem muito simpático, mas ele não é necessariamente o arco mais atraente.

Achamos um arco mais interessante assumir um personagem que tinha um ego, porque para morrer pelos outros, você precisa superar isso. Achamos que o arco mais convincente era Stark sendo o único a morrer. Para que fosse um arco mais rico e complexo, e por isso o escolhemos.”

 

 

 

Prevaleceu o arco do herói

No final das contas, mesmo não aceitando muito bem os fatos como foram apresentados, eu acabo concordando com a teoria de Joe Russo. Até porque eu sou putinha confessa da Marvel.

Todo mundo espera que Steve Rogers entregue a própria vida pelo bem comum. Isso faz parte do código moral e ético dessa pessoa antes mesmo de se tornar o Capitão América e, de forma efetiva, adquirir poderes para proteger os indefesos. Sem falar que ele já fez o seu sacrifício antes, e teve como “recompensa” ser descongelado depois de 70 anos.

Já Tony Stark passou de um bilionário playboy gênio egocêntrico e filantropo por conveniência para um cara obcecado em proteger o planeta desde o dia em que se viu em um buraco de minhoca no espaço, segurando uma bomba que ele mesmo lançou contra uma nave alienígena.

O arco de evolução e redenção de Stark só poderia ser concluído com o seu sacrifício, pois depois de derrotar Thanos, o que sobraria para ele?

Tá, você vai me dizer nomes como Galactus e Mephisto. Mas, convenhamos… que venham outros heróis para proteger a Terra. Stark cumpriu com seu papel e precisa descansar em paz.

O que não muda o fato que ele faz falta no MCU.

Mas com o Multiverso mais que consolidado… quem sabe!


Compartilhe
@oEduardoMoreira