Dizem que o crime perfeito não existe, mas você fica bem mais longe de seu objetivo se você fugir de um crime em um patinete elétrico alugado por aplicativo.

Aliás, eu não sou um especialista em crimes, roubos e derivados, mas caso você pensa em cometer um delito por aí, faça por sua conta e risco, e ao menos tenha a dignidade de fugir com o seu próprio veículo de fuga.

Dito isso, veja só o que aconteceu com um jovem em Austin, Texas (Estados Unidos). O rapaz de 19 anos acreditava que era uma boa ideia cometer um crime grave e ter um dispositivo GPS como veículo de fuga, coletando todas as suas informações de deslocamento.

O mais novo indicado ao Darvin Awards 2019 (e um claro exemplo que a evolução humana está estagnando em algum ponto) decidiu assaltar um banco. Foi até o caixa, e passou um papel para a pessoa que estava atendendo. No papel, estava o alerta que aquele era um assalto, e algumas ameaças.

Porém, para entrar no banco, ele deixou a patinete da Jump (uma marca da Uber) estacionada na porta do estabelecimento. Até aí, beleza. O problema foi ele fugir com esse patinete elétrico.

As autoridades não perderam tempo, e encontraram rapidamente o dispositivo estacionado, além de todas as informações que correspondem à identidade do assaltante no registro de corrida.

Mal dá para acreditar que uma história assim é real, mas… aconteceu!

 

+info