Compartilhe

JOSHUA SASSE

2015 não poderia ter começado melhor. Confesso que quando li pela primeira vez a premissa de Galavant, me enchi de preconceitos, e jamais acreditei no seu sucesso. Porém, quando eu vi o primeiro promo da série, e constatei que eles iriam comprar a proposta ‘da galhofa pela galhofa’, eu mudei radicalmente de opinião, e acreditei com toda a fé que essa poderia ser a melhor comédia da temporada. E fico feliz por não ter me enganado.

A comédia musical mostra a história de Galavant, o mais bravo cavaleiro dos cinco reinos, matador de dragões, um cara com cabelo quadrado e bom moço por excelência. O grande amor da vida dele era Madalena, que de forma totalmente avulsa (ela foi roubada, mas pra quê explicações coerentes nessa série?), acaba se casando com o malvado (nem tanto) Rei Richard, que automaticamente vira inimigo mortal de Galavant (já que a nova esposa acha ele um banana, e o compara com o antigo amor o tempo todo).

Um ano depois disso, Galavant está destruído. Não passa de um gambá bêbado desinteressado na vida. Até que aparece a Princesa Isabella Maria Lucia Elizabetta of Valencia, que acredita que o nosso herói é a única salvação para o reino de Valencia, que foi tomado por – adivinha quem? – Rei Richard, que queria a todo custo presentear Madalena com uma preciosa joia do reino valenciano.

A Isabella Maria Lucia Elizabetta of Valencia está mancomunada com Rei Richard, para salvar a pele dos seus pais. Mesmo assim, segue com Galavant na jornada para ‘salvar’ Madalena das garras do rei banana (pois Maria Lucia conta para o nosso herói uma historinha onde a sua amada sofre nas mãos do rei… mas não conta que Madalena está fornecendo forte para o bobo da corte), e voltar a ter algum sentido na sua vida.

galavant-abc

Graças a Deus, Galavant é engraçado!

Você, que leva toda e qualquer série de TV à sério, ou que se irrita com pessoas cantando o tempo todo durante o episódio, nem chega perto. Você não é uma pessoa feliz – já deve saber disso, inclusive -, e Galavant não foi feito para você. A série não é para ser levada à sério, e rende boas risadas com um humor cretino. É série com humor ‘pé no chão’, onde faz piada de si mesmo em praticamente todo o tempo.

Aliás, apenas para responder aos mais revoltados comigo quando eu digo que não suporto comédias que fazem piadas com vômito o tempo todo: Galavant fez UMA PIADA com vômito, e pronto. E eu curti a piada.

Várias cenas cretinas, onde o único objetivo é mostrar ao telespectador como é possível fazer o humor idiota e ser engraçado. Sem falar no texto, que ajuda muito sendo ágil o suficiente para não deixar o ritmo dos episódios cair (sim, são dois episódios de 20 minutos por semana). O episódio não cansa, passa bem rápido, e os personagens são carismáticos, funcionando dentro da proposta da série.

Em resumo: Galavant é, sem medo de errar, a melhor comédia estreante da temporada 2014-2015. Aceite você ou não.

É o tipo de comédia sem compromisso, que tem como único objetivo te fazer rir por ser cretina e imbecil. É o humor galhofa que falta na TV. É a zoeira pela zoeira. De novo: não é para ser levada à sério. É apenas e tão somente para fazer a audiência rir, de forma descompromissada.

Espero mesmo que audiência norte-americana compre a proposta da série, e que a ABC renove logo essa maravilhosa comédia. E é uma pena que a própria ABC tenha ficado com tanto medo de apostar na série para encomendar apenas oito episódios.

Renderia muito mais. Só pela zoeira.


Compartilhe