cheirar chocolate

Eu amo chocolate, mas tudo tem limites!

Esta não é uma moda nova, mas só agora o hábito de cheirar chocolate ganha a mídia quando começa a aparecer em alguns clubes noturnos. É curioso: seria uma droga que não é droga?

É muito estranho ver alguém alucinado procurando no fundo da dispensa um pouco de chocolate pra cheirar, tal e como faria com cocaína. E de forma legal!

Calma! Tudo tem sua explicação.

Não é de hoje que as pessoas se perguntam se cheirar chocolate faz mal, e alguns chegaram a experimentar o cacau puro como estimulante. Saiba que os mais e os astecas utilizavam o cacau como substância mágica, na prática de alguns rituais. O motivo era o possível impacto que o cacau tem às propriedades fisiológicas do nosso corpo.

 

 

Logo, era questão de tempo para alguém resgatar essa tradição e tentar fazer negócio nos tempos modernos. Um dos empresários a explorar o “snocolate” foi Dominique Persoone, um belga chocólatro que desenvolveu um dispositivo modificado a partir das pequenas catapultas do século XIX preparadas para consumir rapé.

Sua linha de chocolate para cheirar abriu os olhos de novos empreendedores, que desenvolveram os seus próprios produtos. Aos poucos, essa nova e estranha moda chegou ao topo, e de forma totalmente legal.

Os cheiradores de chocolate afirmam que seus efeitos são muito parecidos com os de outros estimulantes, provocando euforia, bem estar e prazer. Mas tudo legalmente.

Por outro lado, os “mestres chocolateiros” explicam que, enquanto a língua saboreia apenas cinco sabores, o nariz pode identificar mais de 1 bilhão de aromas.

Fato é que o cacau precisa ser puro e moído de forma a chegar na mucosa nasal ao ser aspirado. É uma forma muito conhecida de ingerir substâncias para a corrente sanguínea com destino final o cérebro.

Mas.. o que o cacau tem de bom?

 

 

O cacau também é usado como bebida “especial” há muito tempo. O alimento dos deuses, em rituais, em festas badaladas.

Os motivos estão no próprio cacau. Vários estudos mostram os benefícios da substância: ação oxidante, poder cardio protetor, efeitos anti-inflamatórios, entre outros. Sem falar nas substâncias que atuam em várias rotas metabólicas humanas, atuando como antidepressivo, bloqueante adrenérgico e outras questões fisiológicas.

As substâncias do cacau também são responsáveis por aumentar a corrente sanguínea que irriga o cérebro e os músculos, reduzindo assim a sensação de cansaço. Ele também produz uma mudança no fluxo das endorfinas, hormônios relacionados com a euforia.

Logo, várias questões químicas que afetam positivamente o nosso corpo, proporcionando uma sensação parecida com a de uma droga. Mas isso, em teoria.

Na prática, não há evidências científicas de que isso aconteça. Também não é necessário um estudo que confirme alguns feitos empíricos. Efetivamente, o cacau tem efeitos na percepção da dor ou euforia.

Mas… é capaz de imitar uma droga?

 

 

Definitivamente, não.

Talvez é pedir demais do chocolate. Em todo caso, é uma experiência curiosa e estranha. Mas… isso pode resultar em algo perigoso?

Por enquanto, não vimos nenhum tipo de mal em consumir cacau pelo nariz. Suas propriedades são boas na melhor das hipóteses, e nenhuma na pior. Além disso, não resulta em vício (bom… mais ou menos..), logo, pouco temos que temer a prática de cheirar chocolate.

Vale lembrar que o nariz é uma via de entrada única para o ar que respiramos. Para todo o resto, ele está fechado. Vários pelinhos e substâncias (como o muco) protegem essa via de entrada de outras substâncias. E o cacau não é uma exceção.

Especialistas advertem que tal prática pode provocar danos aos tecidos do nariz, além de derrames, hemorragias e infecções. Logo, mesmo que cheirar cacau não represente o mesmo que cheirar cocaína, também não quer dizer que é totalmente saudável.

Sinceramente? O melhor é consumir o chocolate comendo, bem quente em uma xícara, e o mais escuro possível (evitando o açúcar). Aqui, com certeza vamos receber um golpe de endorfinas, e sem detonar o nariz.