Compartilhe

O que será… será!

O que tiver que ser, vai ser. Nada que você fizer vai evitar isso.

Você pode até fugir, correr, se esconder. Mas o destino vai encontrar você. É inevitável, todos passam por isso mais cedo ou mais tarde. Você é dono do seu futuro, e controla o seu próprio destino. Mas até um certo ponto. Desse ponto para frente, o que está previamente determinado para acontecer… simplesmente vai acontecer.

É difícil para você aceitar isso, não é? Saiba que você não está sozinho. Essa filosofia de vida estranha e quase pessimista me atormentou nos últimos anos da minha vida. Sim, pois eu queria ter o controle de tudo, e isso é impossível. A gente não controla nem a nossa conta bancária direito em tempos de crise, que dirá as nossas emoções, nossos desejos, nossos sonhos… nosso destino?

Ah… vai me dizer que você é hoje exatamente do jeito que você sonhou quando era criança?

Conversa!

Isso é impossível. Bom… quero dizer…

Estou mentindo… o impossível não existe.

Mas… fato é que… o que será… será!

Não tem jeito. Algo vai acontecer. Sempre acontece. E, muito provavelmente vamos nos deparar com o tal “destino” que nós mesmos traçamos, no passado. Bom, aí deixa de ser um pouco de destino para ser uma “lei de causa e efeito”. E aí, não é mais destino, mas sim o resultado de nossas escolhas.

Também é difícil aceitar isso, não é mesmo? Não poder colocar a culpa em ninguém de nossas escolhas infelizes, e não poder colocar a culpa nem no destino? Aí complica!

Sim… essa é a realidade dos fatos.

Mas… vendo por outra perspectiva…

Se o destino é algo que inevitavelmente vai acontecer, e que, em muitos casos, são resultados de nossas escolhas, é sinal que o destino não é algo tão ruim assim. Pelo contrário: é a história que vamos escrever, mas que não sabemos qual palavras vamos usar, qual será o roteiro que vamos escolher, os personagens que vão contracenar conosco… e o mais importante: não sabemos como será o final.

Tudo está nas nossas mãos. Sempre esteve.

A diferença entre ser infeliz e ficar lamentando com a patética frase “o destino quis assim” daqueles que tem a coragem de assumir o controle do seu tempo é uma atitude mental que, em tempos de desespero, a maioria de nós não consegue ter. Não enxergamos porque nossos olhos estão fechados de tanta dor, ou estamos com os olhos marejados de tanto chorar.

Mas… quando paramos, respiramos um pouco e olhamos para frente… enxergamos um letreiro enorme, em neon piscante, dizendo…

FÉ NO FUTURO!

Você está aqui. Vivendo essa vida. Certo?

Logo, jogue as regras do jogo… e viva!

Aproveite de todas as experiências que puder, faça o que puder para ser feliz, sempre com a consciência tranquila. Não saber o que vai acontecer no futuro é um presente que Deus te deu para você fazer o que quiser dele, sem medos ou arrependimentos. Se tudo der errado, você tem todo o tempo do mundo para recomeçar e acertar.

Nesse caso, o “que será, será” é a melhor coisa que pode acontecer.

Viva o jogo! Respire sempre! Dê os passos.

Aliás, dance sempre no ritmo de “Que Sera, Sera”. Se deixe levar pela leveza dessa canção, pela alegria que essas notas trazem ao coração.

Comece hoje a ouvir os sons do futuro. Tente identificar em cada nota o que você realmente quer para você amanhã. Construa os projetos da sua vida como melodias vibrantes e pulsantes.

Não posso te garantir um futuro feliz, mas com certeza suas chances vão aumentar consideravelmente. Ou pelo menos você vai ouvir uma das músicas mais gravadas de todos os tempos, e descobrir que ela não é uma valsa, mas sim um popular estilo alemão chamado Schlager (eu também não sabia disso).

Por fim, eu vou encerrar. Preciso continuar a seguir com meus planos e sonhos. Preciso seguir escrevendo sobre a trilha sonora da minha vida.

Mas antes…

Eu te peço… continue a sonhar.

Quem sonha está vivo. Quem sonha tem no DNA da alma a fé no futuro, e não se deixa abater pelas adversidades da vida. Não coloca a culpa no pobre do destino pelas derrotas e fracassos. Acredita que seu destino é algo que você traça desde o primeiro segundo de vida. E no último segundo, com alguma sorte, estará com um sorriso nos lábios… ouvindo essa canção, e pensando “como eu fui feliz”.

Mais: faça com que seus sonhos se tornem belas realidades. Faça com que seus sonhos inspirem quem te rodeia, inspirem as pessoas que te amam. Deixe seus filhos e netos orgulhosos pelos seus sonhos.

Faça com que seus sonhos te inspirem a ter novos sonhos.

E acredite sempre que “o que será, será”.

E que você será muito feliz.

É só ter fé no futuro.

Vai por mim!

“Que Sera, Sera” é uma das 100 canções mais famosas do cinema em todos os tempos. Curiosamente, abre o filme “O Homem Que Sabia Demais”, de Alfred Hitchcock. Mas é uma canção de fé no futuro. Uma singela canção que lembra a todos o quanto a nossa capacidade de construir nosso futuro é mais importante do que deixá-lo nas mãos do destino. Até porque o destino vai acontecer de qualquer maneira. Ele é uma consequência de nossas escolhas hoje.

Quis o destino que eu escrevesse esse texto para você, hoje.

Quis o destino que esse projeto existisse.

E eu nem imaginava que faria isso quando eu ouvi essa música pela primeira vez.

Mas… sempre soube que a música era parte vital da minha existência.

Então… era o destino?

“Que Sera, Sera (Whatever Will Be, Will Be)”
(Jay Livingston,  Ray Evans)
Doris Day, 1956


Compartilhe