Agora que temos o Nokia 3310 e o Nokia 8110 (esse segundo, o celular do Matrix) devidamente ressuscitados, podemos sonhar com um novo Nokia N-Gage na MWC 2019, certo?

Ou isso é pedir demais?

Em 2002, a Nokia dominava completamente o mercado de celulares. Nesse ano, apresentou um dispositivo que mesclava console portátil com telefone, o Nokia N-Gage, que só chegou ao mercado em outubro de 2003.

O objetivo desse dispositivo era bater de frente com os consoles portáteis. Uma tarefa complicada, com o Game Boy Advance dominando o setor, e a Nintendo dominando o segmento a algum tempo.

 

 

O Nokia N-Gage não alcançou o sucesso esperado, sem causar a empolgação nos usuários, mesmo com todos os esforços da Nokia e dos desenvolvedores para oferecer jogos potentes no dispositivo. Quase 60 jogos foram desenvolvidos para o dispositivo, entre eles Civilization, Call of Duty, Asphalt Urban GT, Tomb Raider, Rayman e FIFA.

Um ano depois do modelo original chegar ao mercado, a Nokia apresentava o N-Gage GD, com tamanho menor e controles modificados. Também não fez sucesso. Os dois modelos somados resultaram em 3 milhões de unidades vendidas (na época, a Nokia estimou vendas em 6 milhões de unidades).

O dispositivo parou de ser fabricado, e virou um serviço de jogos que foi desativado anos depois.

 

 

Agora, 15 anos depois do lançamento do N-Gage, ele pode voltar. A HMD já demonstrou que pode entregar uma relação custo-benefício que pode dar uma nova vida ao produto.

Em 2018, ainda temos uma Nintendo forte no mercado de videogames portáteis, mas a nostalgia pode jogar a favor da Nokia, assim como um catálogo de jogos interessante. Basta olhar para os melhores jogos do Android em 2017, e entenderemos que não será por falta de jogos que o novo N-Gage pode naufragar.

Leia também:  Vídeo | Um Mario Kart da vida real em stop motion, só para animar a sua tarde...

 

 

Sem falar que ela estaria praticamente sozinha no mercado. Salvo a Sony com o seu Xperia Play, não há muitas iniciativas de smartphones dedicados aos games. O máximo que vemos hoje são os modos de jogo específicos em modelos da Samsung, ou o recente Razer Phone, que só aposta nas características técnicas, e não no design.

Por isso… Nokia, nos dê uma alegria em 2019. Ressuscite o Nokia N-Gage, e mostra que a empresa adora correr riscos para prevalecer.