Compartilhe

Sabe aquele domingo cinzento e nublado, onde tudo o que você mais quer é ficar assistindo TV e dormir, e a última coisa que você deseja é ir para a cozinha preparar o seu almoço? E, ao mesmo tempo, quer comer algo diferente do trivial arroz com feijão nosso de cada dia?

Pois é… o domingo de ontem (27) em Florianópolis (SC) foi assim. E, tal e como faria qualquer cidadão brasileiro que ralou a semana inteira para comer algo diferente, decidi fazer um pedido no restaurante Santa Broca.

E mal poderia imaginar que eu seria arrombado com a broca deles, ao receber o pior e mais caro prato de miojo que comi em toda a minha vida.

 

 

 

De “SUPER” isso aqui não tem nada!

 

Parece que o Uber Eats estava tentando me avisar que eu não deveria seguir em frente com a ideia de pedir um prato via delivery, já que o primeiro pedido realizado no Casa Madera foi recusado.

Então, o idiota que está escrevendo este post se empolgou com a proposta do Santa Broca (sério, eu devia ter desconfiado pelo nome do lugar, mas estou tentando crescer nos aspectos intelectuais e não julgar pelas aparências…), que oferecia uma Super Yakisoba por R$ 29,99.

 

 

Logo, pensei:

“Vou encher o estômago de comida boa e pagando pouco, pois o Uber Eats foi legal comigo ao oferecer a promoção de ‘compre 1, leve 2’. E eu adoro yakisoba.

O que pode dar errado?”

#SPOILER: tudo.

O prato chegou no horário programado (e nem poderia ser diferente; só faltava demorar uma eternidade para entregar o prato que recebi), o entregador (que não tem qualquer culpa do que aconteceu) foi muito educado e gentil, e a sacola de papelão até que estava dentro dos padrões.

E aqui acabam os elogios ao pedido feito no Santa Broca.

 

 

 

O pior e mais caro miojo da minha vida!

 

 

Daqui pra frente, ferrou de vez.

Eu já desconfiei que o “SUPER” do nome do prato não era na quantidade por causa do tamanho e do peso das duas vasilhas de marmitex enviadas pelo Santa Broca. Eram mais leves do que as panquecas que eu poderia ter pedido em outro restaurante. Aliás, tão leves quanto dois pratos de miojo que você faz em casa.

Mas ao abrir as embalagens da “yakisoba”, constatei que ERA MESMO MIOJO o que o Santa Broca entregou. Aquele miojo que qualquer pessoa faz em três minutos. E, pela quantidade oferecida, eu tenho certeza absoluta que eles pegaram um pacote de miojo de 80 gramas, cozinharam por três minutos, escorreram, colocaram o tempero de carne, jogou shoyu e os demais temperos, e chamou de yakisoba.

Desculpa, posso parecer exigente demais. Mas… quando você paga R$ 29,99 por uma de yakisoba, você espera comer macarrão de yakisoba, aquele que é próprio para esse prato. E não o miojo cujo pacote custa em torno de R$ 1.00. Só posso entender que essa prato foi mais superfaturado que a construção da Arena Corinthians.

E o que reforça a minha teoria?

Veja a yakisoba que o Santa Broca coloca como “imagem meramente ilustrativa” na sua página do Facebook:

 

 

E veja o que eu recebi no pedido feito:

 

 

Os complementos do prato foram o adorno do desastre. Por ser MIOJO (com o tempero do saquinho), esse prato veio absurdamente carregado no sal. A cenoura veio completamente crua (algo que não me incomodou tanto diante do maldito miojo) e, o mais grave: fiz o pedido no Uber Eats com um uma informação complementar clara de, por favor, não incluir pimentão no prato, por uma questão de saúde (alergia e intolerância ao pimentão).

E… adivinhe o que veio na “Super” Yakisoba da Santa Broca?

Isso mesmo… já sabe… o meu “melhor amigo”: o pimentão!

 

 

 

Santa Broca: não recomendo nem para o meu pior inimigo

 

Sei que estou usando termos fortes para criticar um estabelecimento comercial, e até posso entender que todo mundo se esforça para prestar um bom atendimento. Até posso considerar que o pessoal do Santa Broca deve estar começando, e tem muito o que aprender.

Porém, na boa… é muito amadorismo para o meu gosto!

Erros grosseiros no pedido, comida de má qualidade e preço superfaturado para um produto que não chega nem perto de ser o que é descrito no anúncio que eles mesmos produziram para o Uber Eats só me fazem concluir que o Santa Broca fez uma baita propaganda enganosa.

Ou quis me arrombar bonito com comida muito ruim.

No final das contas, não dava para comer o que recebi. Tive que gastar mais dinheiro para fazer um novo pedido, e o Uber Eats não fez o reembolso desse pedido baseado nas informações que passei para eles pelo aplicativo.

Logo, este post existe para alertar aos clientes de Florianópolis que o Santa Broca consegue ser pior do que vários textos mal escritos que escrevi neste blog. Fujam deles como se você estivesse fugindo de um exame no proctologista ou de um Papa Nicolau.

O post também serve para dizer para a dona Uber Eats que o fato da empresa não experimentar nenhum prato avaliado não pode ser o critério para não realizar o reembolso aos clientes que foram claramente lesados por uma propaganda enganosa (tá, vou suavizar: por um produto final de baixa qualidade).

Vou encerrar por aqui. Vou pedir meu almoço em um restaurante que me entrega o que foi anunciado.


Compartilhe