Compartilhe

Roberto Justus deve estar cheio de recalque na vida. Ou foi demitido da Band e não vai mais apresentar O Aprendiz, uma vez que a emissora está contra a visão atrasada de mundo dele e do saco que ele está lambendo daquele cara com a faixa presidencial.

Um áudio vazado em plena madrugada revela que esse senhor idoso de pau murcho com 64 anos prefere ver os velhinhos morrendo do que a maior crise financeira da história. É mais um que entende que isso é uma histeria coletiva, e que uma simples gripe não fará tantos estragos.

Ou seja, para Roberto Justus, as pessoas que morreram não merecem o menor respeito, o sistema de saúde brasileiro não vai entrar em colapso, e as possíveis perdas que o coronavírus pode causar são deduzíveis e muito menos significativas que as perdas econômicas.

Roberto Justus. 64 anos. Dentro do grupo de risco.

 

 

 

Não chega a ser surpresa para ninguém que esse senhor está fácil na lista dos seres mais escrotos da nação brasileira. Ou deve estar com o escroto inchado de tanta incompetência sexual. Talvez seja o caso de perguntar para as ex-esposas do cara, que conseguiram a liberdade depois de anos convivendo com esse robô desprovido de sentimentos.

Ou talvez o áudio foi enviado dessa forma porque ele perdeu o emprego dele na Fazenda da Record para o próprio Marcos Mion, que ocupou o lugar dele na apresentação da atração. Ou seja, recalque desse idoso.

O que espanta é a arrogância e prepotência de um cara que acha que sabe tudo, o tom de autoridade de um líder nato, e a cagação de regra na opinião alheia, sendo mais histérico e lacrador que militante de esquerda que veste vermelho todo sábado e ouve Geraldo Vandré no último.

E a galera que fica passando pano e masturbando o ego desses imbecis já correram para as redes sociais defendendo a fala dele, como prostitutas ideológicas que não se importam em nada com o simples fato que DINHEIRO NENHUM VAI SALVAR O MUNDO DO CORONAVÍRUS!

Pessoas como ele estão mais preocupadas com os prejuízos que todos vão sofrer. O que consola é que o que é uma queda para nós, assalariados, micro empresários, empreendedores individuais e donos de empresa de pequeno e médio porte, para Roberto Justus é o mesmo de ser empurrado de um desfiladeiro pelado, onde lá no fundo, no meio da escuridão, tem pelo menos 1.500 clones do Kid Bengala esperando por ele, igualmente pelados e animados por ver um corpo caindo de lá de cima (detalhe: nenhum deles está usando camisinha ou vaselina).

A falta de compaixão por velhinhos e diabéticos que Roberto Justus demonstra só pode ser uma profunda mágoa e amargura pelo fato do pau dele não subir mais. Aliás, mágoa é algo que mata, tá? Pode ou matar de desgosto ou de ofensas verbais que esse senhor idoso vai receber de todo um coletivo a partir de agora.

Roberto Justus… eu tenho 41 anos e tenho diabetes. Para você, eu faço parte dos 10% que podem morrer sem problemas para salvar a economia global. Para você, eu não mereço qualquer tipo de respeito ou dignidade.

Pois bem… o mesmo eu digo para você!

Tá se achando garotão aos 64 anos? Só porque você usa uma prótese peniana ou fica bombando o seu pinto murcho para ficar inflado? Isso não é sinônimo de juventude, mas sim de decadência. Falência moral e múltipla dos órgãos.

Lamento por você ser assim, mas… com muita sorte, é mais fácil você pegar o COVID-19 do que eu.

E… quer saber? Estou torcendo para isso acontecer.


Compartilhe