O estágio de estagnação em que o mercado de smartphones se encontra nesse momento fica claro no cenário das vendas dos dispositivos. Samsung e Apple perderam cota de mercado para as chinesas Huawei, Xiaomi e Oppo.

Apesar da Samsung registrar a queda mais significativa, a da Apple é ainda mais impressionante, especialmente por causa das dificuldades que a gigante de Cupertino está enfrentando na China, e muito disso está acontecendo por causa da guerra comercial entre esse país e os Estados Unidos, algo que continua por pura teimosia do Donald.

Por outro lado, as empresas chinesas crescem de forma clara, com a Huawei sendo a empresa que mais capitalizou diante desse cenário (3,2%) em 2018. Ao mesmo tempo, no quarto trimestre de 2018, a Apple registrou a sua maior queda desde 2016, com 64.5 milhões de unidades, uma queda de 11.8% em um ano. Foi o prior trimestre entre as cinco maiores fabricantes de smartphones do mercado, ao mesmo tempo em que Huawei e Oppo subiram significativamente.

Ou seja, os smartphones top de linha muito caros e com poucas atualizações em relação ao modelo da geração anterior estão deixando os consumidores reticentes. Além disso, os dispositivos de linha média já estão recebendo as funcionalidades dos tops de linha e são bem mais baratos.

Isso mostra outro problema, mas para a Samsung, que aposta como nunca no segmento de linha média, mas que encara uma concorrência chinesa cada vez mais forte, e que está chegando em diferentes mercados. Para complicar ainda mais essa equação para o lado dos coreanos, a família de smartphones Galaxy S10 não é nada barata. E o Samsung Galaxy Fold a US$ 1.980 só reforça a sensação que os tops de linha da Samsung estão muito caros.

Ou seja… é bom a Samsung e a Apple ficarem espertas. Os chineses estão prontos para atacar. Na verdade, já atacaram. Mas o barulho das bombas começaram a ecoar no quintal dos coreanos e norte-americanos apenas no final de 2018.

Será em 2019 que as primeiras baixas serão registradas.