E não é que a Samsung está gostando de investir na linha intermediária?

Os novos Galaxy A6 e Galaxy A6 Plus da Samsung nada mais são do que dispositivos de linha média que devem bater de frente com os modelos que já estão no mercado, dentro da faixa de preços entre R$ 1.000 e R$ 1.500.

Conceitualmente falando, são modelos que se alinham com o propósito de manter essa faixa de preço competitiva. E o argumento dos coreanos é oferecer alguns dos elementos presentes nos modelos premium nesses modelos de linha média.

Por exemplo: tela Infinity Display (18.5:9), câmera traseira dupla, câmera frontal claramente pensado nas selfies, o mesmo corpo metálico do irmão mais velho (aka Galaxy A8 e Galaxy A8+), entre outras características.

 

 

No Brasil, dá para imaginar esses modelos brigando principalmente com a linha Moto G6. Particularmente, me agrada mais esse corpo metálico do que o corpo envidraçado dos smartphones da Lenovo. E o conjunto de câmeras dos smartphones da Samsung pode contar a favor nessa equação.

Não creio que serão estes os modelos que custarão entre os tais R$ 1.000 e R$ 1.500. Para essa margem de preço, existe a linha Galaxy J. Porém, não acredito que vai ultrapassar muito essa faixa de preço, levando em consideração o valor do Galaxy A8 e A8+ no mercado brasileiro nesse momento.

Obviamente, eu estou especulando tudo isso. Ainda não há previsão de lançamento dos modelos para o Brasil. Mas para fazer sucesso no cobiçado mercado de linha média, eles não podem superar muito esse preço.

 

 

A boa notícia de tudo isso é que a briga dentro de um segmento muito procurado pelo consumidor brasileiro fica cada vez mais acirrada. E o usuário ganha com isso.