O Samsung Galaxy Note 9 é oficial, e apresenta as óbvias evoluções de uma nova geração de um dispositivo. Provavelmente eu estou muito mais propenso a comprar nesse momento o Galaxy Note 8 (e, ainda assim, se eu tiver dinheiro para isso; nesse momento, eu estou muito satisfeito com o Galaxy S7 Edge Black de 128 GB), mas o novo smartphone apresentado pelos coreanos hoje (9) é, definitivamente, algo bem tentador.

Não é apenas um dispositivo com tela gigante e uma caneta. É, muito provavelmente, o melhor smartphone Android 2018, e argumentos para tal afirmação não faltam.

O Galaxy Note 9 conta com o melhor do melhor do melhor. Uma excelente tela de 6.4 polegadas, o onipresente processador Qualcomm Snapdragon 845, que pode trabalhar com até 8 GB de RAM e 512 GB de armazenamento. Tudo é gerenciado pelo Android 8.1 Oreo (com atualização garantida para o Android 9 Pie), e a Samsung Experience já comprovou a sua competência na hora de gerenciar recursos de hardware, com uma experiência de uso muito mais agradável que a TouchWiz.

 

 

A Samsung soube ser conservadora onde não precisava mudar nada. Por exemplo, o design do Galaxy Note 9 não sofreu muitas alterações em relação ao modelo anterior, exceto pela alteração na posição do leitor de digitais, corrigindo o erro que os coreanos cometeram nesse aspecto no ano passado. Também foram mantidos os sensores de câmera presentes no Galaxy S9+, com a abertura variável. Algo que funcionou muito bem no modelo top de linha apresentado no começo do primeiro semestre.

Ou seja, a Samsung não inventou nada de muito novo ou drástico no hardware desse produto, simplesmente porque não precisava. As novidades ficaram no software da câmera, que consegue reconhecer cenas para ajustar seus parâmetros, além de trabalhar de forma otimizada para o registro de fotos.

 

 

O software da Samsung foi modificado, para entregar mais recursos que trabalham em conjunto com a S-Pen, um dos principais destaques do novo dispositivo. E… sim… se houve algo que mudou bastante, foi justamente a caneta do Note 9. Mais inteligente e com mais recursos, aqui temos um acessório que não apenas oferece mais funcionalidades para os produtivos, mas também se aproxima de um uso mais casual, na tentativa de ampliar o público-alvo do produto.

Por fim, passado o trauma do Galaxy Note 7 que liberava a fumaça do demônio, pegava fogo e explodia (descanse em paz, guerreiro…), a Samsung decidiu criar coragem e adicionou no Note 9 uma bateria de 4.000 mAh, que deve dar conta de pelo menos um dia de uso. A bateria de 3.300 mAh do Note 8 é, até hoje, insuficiente para a demanda dos mais famintos pelo uso diário e contínuo do smartphone.

 

 

O Samsung Galaxy Note 9 é um bom updade. Uma atualização sustentável e segura em relação ao modelo do ano passado. As mudanças são consideráveis, e podem justificar a troca do produto por aqueles que contam hoje com o Note 8, que ainda dá um bom caldo nesse momento. Mesmo assim, o novo modelo oferece avanços substanciais, que não podem ser ignorados.

Podemos sim dizer que estamos diante do melhor smartphone Android de 2018. Não coloco os ditos smartphones gaming nessa lista, pois eles ainda são um experimento. Para o grande público, o melhor que você pode encontrar foi apresentado hoje (9) em Nova York.