O que funciona exatamente para a Motorola? Nesse momento, a linha Moto Z. E isso eu digo ‘aparentemente’.

A Motorola/Lenovo precisa decidir o que quer da vida. Entendo que a linha Moto G vai permanecer no mercado por algum tempo, porque é uma marca forte entre os dispositivos de linha média. A linha Moto Z vai ficar no mercado, porque a própria Motorola investiu muito nos Moto Snaps (sim… Moto Mods no Brasil é um nome bem estranho).

A linha Moto C acabou de chegar ao mercado, e pode funcionar bem para a empresa no segmento de entrada.

O que está sobrando mesmo? A linha Moto X.

Na verdade, desde que a Lenovo assumiu a Motorola, ela demonstrou uma certa falta de empenho com uma família de dispositivos que basicamente inaugurou a fase Google da gigante de telefonia. Eu mesmo fiquei muito impressionado com os dois primeiros modelos do Moto X (eu amava o Moto X, e o Moto X de Segunda Geração me impressionou positivamente).

Porém, eu mesmo fui alertado que isso tudo iria mudar. Era apenas mais um projeto ‘beta’ da Google, que se desfez da Motorola tão logo ela começou a dar prejuízo.

Aí vem a Lenovo e mostra a falta de identidade com os dispositivos, lançando modelos que ficaram abaixo da crítica (Moto X Play e Moto X Style), e um Moto X4 que apresentou problemas que não agradaram a muita gente.

Logo, cancelar o Moto X5 não seria uma surpresa. Ainda mais com a demissão de 130 funcionários da empresa responsáveis pela produção do dispositivo. Isso mostra uma mudança de estratégia da Lenovo, e se for para se centrar no que realmente importa, oferecendo produtos melhores nas linhas que eles decidiram apostar, eu apoio o fim da linha Moto X.

Porém, isso não me impede de sentir falta dele. Será uma pena, mas a vida tem que seguir em frente. Especialmente no mundo da tecnologia.