trolls

 

Trolls. Uma prova que Deus existe. Mais: que existe um Deus que quer a nossa evolução moral e espiritual. Mas tudo tem limites nessa vida.

Eu acredito cegamente na teoria que trolls são seres humanos que devem ser exterminados da forma mais lenta, violenta e dolorosa possível. Uma mistura entre câncer anal, AIDS e músicas do Justin Bieber tocando até o fim dos seus dias. Mas como temos que ser misericordiosos com seres inferiores (afinal, não é culpa deles se eles estão na internet, e sim, dos pais deles, que ainda pagam essa conexão), procuramos entender o que acontece para esse bando de desocupados aparecerem na internet para cagar regras em cima de quem faz alguma coisa.

E um estudo mostra que a maioria dos trolls são nada menos que sadistas.

Erin Buckels, da Universidade de Manitoba, arriscou a sua vida e paz de espírito para se aventurar nesse mundo fétido dos trolls, e concluiu que as personalidades dos trolls é muito similar à personalidade dos sádicos, ou seja: narcisismo, maquievelismo, psicopatia e, obviamente, o sadismo.

 

Internet-Troll

 

O estudo também entende que quanto mais tempo os trolls gastam cagando regras na internet, mais eles demonstram essa tendência sadista. Basicamente, podemos dizer que a internet transforma os trolls em sádicos. Mais ou menos isso.

De acordo com uma pesquisa feita pelo instituto Slate, 5.6% dos consultados admitem que praticam a trollagem na internet. Mas posso dizer que esse número pode facilmente alcançar os 25%. E isso não é um exagero. Afinal, uma em cada quatro pessoas já trollou alguém na internet pelo menos uma vez.

Os autores do estudo resumiram suas impressões com a seguinte afirmação: “tanto os trolls quanto os sadistas sentem prazer em desestabilizar outras pessoas… os sadistas apenas querem se divertir (humilhando outras pessoas), e a internet e o seu playground”.

Moral da história: tenho pena dos trolls. E muita.

+info