Isso mesmo. A Sony é a antipática da turma. Motivo: por não querer o crossplay universal. Todo mundo já sabia do pensamento deles sobre o tema, e isso ficou bem claro com a chegada de Fortnite em múltiplas plataformas.

Microsoft e Nintendo estão abertas ao crossplay unviersal, mas a Sony é cheia de ‘não me toques’. Para quem tenta jogar Fortnite no Nintendo Switch utilizando uma conta criada no PS4 ou o contrário não vai conseguir obter sucesso nessa tentativa.

A solução nesse caso é criar uma conta… e perder todo o seu progresso no jogo, deixar de lado os objetivos comprados em uma das plataformas e os objetos que você obteve na conta antiga. O inferno na terra.

A culpa aqui é só da Sony, é bom deixar bem claro. Ela faz o mesmo com os jogos do Xbox One, deixando de lado o bom senso em trabalhar com as demais plataformas.

Fortnite é uma revolução no mundo dos videogames, já que é o mesmo jogo para todas as plataformas, com um crossplay quase completo. Gamers do iOS, Android, PCs e notebooks podem competir contra os jogadores do Xbox One e Switch, ou com os do PS4 (mas não com os gamers do Xbox One e Switch), todos entre si.

Em resumo: a Sony não brinca com os amiguinhos chamados Microsoft ou Nintendo.

De novo, todo mundo já sabia que a Sony faz isso. No passado, ela bloqueou o crossplay de Rocket League e do Minercraft, recusando o convite da Microsoft para criar a plataforma Cross-Network Play. Para a Sony, a ideia era um risco para os seus usuários mais jovens (seja lá o que isso significa).

Para o caso Fortnite, não foram dadas razões técnicas, e até alegam que “sempre estão abertos a escutar o que a comunidade PlayStation está interessada para melhorar a sua experiência na hora do jogo”. Mas isso não quer dizer que a Sony vai mudar de ideia.

As críticas chegam de todos os lados, e geram uma reflexão razoável: a exagerada proteção da Sony ao seu ecossistema fará com que algumas pessoas deixem o PS4 e migrem para o Xbox One ou Nintendo Switch para jogar videogames com seus amigos.

Não dá para saber como a Sony vai reagir diante do caso, mas o tradicional domínio da empresa no mercado de consoles pode mudar se a empresa manter essa atitude. Ser a antipática da turma não funciona, especialmente quando muita gente entende que foi a Microsoft quem venceu a E3 2018.