@oEduardoMoreira

Pessoal e Intransferível

Tag Archives: ces

Um pedal que transforma a bicicleta em um dispositivo conectado

by

connected_cycle

O Connected Cycle é um pedal que se instala de forma simples em nossa bicicleta, convertendo o veículo em um dispositivo que é capaz de avisar quando alguém o toca (via smartphone).

O pedal é instalado como outro qualquer, e é compatível com todos os tipos de bicicletas. Estará disponível na Europa nos próximos meses, mas poderá ser enviado para todo o planeta.

O pedal é fabricado em alumínio e é resistente à água e golpes. No seu interior, possui um sensor GPS e um SIM card com dados para enviar a localização para o smartphone (via aplicativo). Assim, o usuário sabe onde está a bicicleta estacionada ou roubada. O pedal não pode ser desconectado, pois o mesmo possui uma chave especial, que só pode ser usada pelo proprietário.

connected_cycle_app_01

Uma bateria integrada dispensa a recarga, pois o pedal possui um mecanismo que obtém energia a partir do movimento. O pedal conta com sensores que monitoram a velocidade, a rota, a elevação e as calorias queimadas. Tudo é exibido pelo aplicativo, com gráficos detalhados.

connected_cycle_app

Via Connected Cycle

Um relógio para os viciados em abdominais

by

GymWatchFB

O GymWatch é uma pulseira que foi financiada pelo Indiegogo, mas que foi oficialmente apresentada na CES 2015. O único objetivo do wearable é contar as repetições de abdominais, com a ajuda de um aplicativo que instrui como fazer o movimento correto, com animações que indicam o ritmo adequado, de acordo com o nível de treinamento escolhido.

Sua bateria tem autonomia de 30 dias de uso, e o produto só tem um app compatível com o sistema Android (por enquanto; versão do iOS em fase beta). O GymWatch só controla o exercício de um braço ou perna, o que obriga o usuário a comprar duas unidades para uma análise completa.

Preço: US$ 199. E nem sei se vale tudo isso.

Mad Catz R.A.T. PROX, um mouse modular

by

mad-catz-rat-pro-x

Ontem eu mostrei aqui no blog o controle para videogames LYNX 9 da Mad Catz, que é totalmente modular. Hoje, eu apresento o Mad Catz R.A.T. PROX, um mouse modular que pode intercambiar seu sensor e sua scroll, com possibilidade de desenvolvimento desses dois itens com o passar do tempo. Cortesia da própria Mad Catz.

O produto não tem preço sugerido, já que a Mad Catz tem um conjunto de patentes pendentes para finalizá-lo. Eles prometem colocar o produto no mercado ao longo da primavera de 2015 (no hemisfério norte).

mad-catz-rat-prox_1 mad-catz-rat-prox_2 mad-catz-rat-prox_3 mad-catz-rat-prox_4 mad-catz-rat-prox_5

+info

Novo controle modular para games Mad Catz L.Y.N.X.9 é bizarro, mas sensacional

by

650_1000_mad-catz-lynx-9_1

A Mad Catz apresentou na CES 2015 o L.Y.N.X.9, um controle modular que chama a atenção pelas funcionalidades, mas principalmente pelo visual.

Ele pode agregar um teclado, um smartphone ou tablet (até 7 polegadas), e vai ‘se abrindo’ para tirar proveito das laterais onde vão os controles. E na hora do transporte, pode se contrair ao máximo.

Seu preço? US$ 299. Caro demais para um controle de videogames, mas muito completo. Chega ao mercado norte-americano em março.

mad-catz-lynx-9_2 mad-catz-lynx-9_3 650_1000_mad-catz-lynx-9_4 mad-catz-lynx-9_5

+info

Belkin WeMo quer colocar sensores em cada canto de sua casa

by

belkin-wemo-home-sensors

A Belkin ampliou o catálogo de produtos da linha WeMo, que recebe um novo sensor para portas e janelas, um rastreador de chaveiro, um detector de movimento, um monitor de eficiência de gasto de água e um alarme que detecta o som de outros sensores. Ou seja, toda a sua casa será monitorada, em nome da segurança e harmonia de sua casa.

Alguns desses sensores podem trabalhar de forma conjunta, harmonizando melhor com as atividades de sua casa. É preciso saber se a sincronização será suficientemente fluída, ou se será útil nesse tipo de trabalho em cadeia.

A maioria dos novos sensores chegam ao mercado na segunda metade de 2015. Preços não foram revelados.

+info

As telas curvas (e gigantes) vão dominar a CES 2014

by

105_curved_UHDTV

2013 não chegou ao fim, e já pensamos em 2014. Na verdade, pensamos no primeiro grande evento de tecnologia de 2014, a CES (Consumer Electronics Show), que acontecerá em Las Vegas (EUA), nos primeiros dias de janeiro. E, pelo visto, a feira não será dominada esse ano por tablets, smartphones ou relógios inteligentes. Tá, até vamos ter esses produtos em grande profusão. Mas as estrelas da feira serão as TVs. E digo mais: as TVs curvas.

Só no dia de hoje, LG e Samsung (que começam a se estapear nesse segmento) anunciaram modelos que serão apresentados na CES 2014. As duas com, pelo menos, duas grandes similaridades: telas de grandes dimensões (ambas de 105 polegadas), e com curvaturas, para que se aproximem da experiência oferecida hoje pelas salas de cinema. A tendência é que outros fabricantes façam o mesmo nos próximos dias, e que o evento seja inundado por esses grandes televisores.

É um movimento dos fabricantes que não pode ser condenado. Não é algo 100% inovador, mas é uma aposta para estimular o consumidor a investir em produtos que o aproximem da experiência da sala de cinema. Afinal de contas, se as pessoas não gastam mais dinheiro porque o cinema é caro (e no Brasil as salas não oferecem muitas opções de filmes e formatos de áudio e legenda), ao menos que a sala de estar (ou de vídeo) do consumidor se transforme efetivamente em um “home cinema”.

lg-105-pulglg-105ub9-g2-1063-1 (1)

Por outro lado, pelo menos por enquanto, é preciso ter “bala na agulha” para equipar a sua sala com esses equipamentos. As primeiras TVs com tela curva disponíveis no mercado brasileiro contam com preços proibitivos – a partir de R$ 40 mil -, e contam com metade do tamanho das sugeridas hoje por LG e Samsung. Logo, não podemos ficar muito animados com os produtos que serão apresentados na CES 2014 no quesito preço. E nem precisamos, pois muito provavelmente esses produtos não chegarão ao mercado de forma imediata.

De qualquer forma… será que é hora de começar a quebrar paredes de casa? Bom, eu moro em uma casa pequena, e minha maior ambição é trocar a TV de 32 polegadas (que funciona muito bem, obrigado) por uma de 40 polegadas. E, mesmo assim, só pretendo fazer isso quando realmente for necessário. Agora, imagine aqueles que não vivem sem a tal tecnologia de ponta?

Ah, você já está quebrando paredes na sua casa? Tá certo…

8 núcleos em um processador de smartphone. Quem diria que um dia eu veria isso…

by

A CES 2013 acabou, e entre tantas novidades pensadas para o mundo do entretenimento (principalmente TVs com telas com resolução 4K), os dispositivos móveis ficaram um pouco “ofuscados” na feira de Las Vegas. Mas tem um motivo muito justo para isso ter acontecido: no final do mês de fevereiro, teremos a Mobile World Congress 2013, em Barcelona. E aí sim os dispositivos móveis devem reinar absolutos. Mas isso não quer dizer que pelo menos um anúncio ligado ao mundo da mobilidade não merecesse destaque.

A Sasmung decidiu “brincar” (no bom sentido), anunciando uma nova plataforma de processadores para smartphones, a Exynos 5 Octa, que possui nada menos que 8 núcleos de processamento ao seu dispor. Vale lembrar que não estamos falando de um processador “octa-core”, ou seja, um único processador com oito núcleos de processamento. Basicamente, eles conseguiram colocar dois potentes processadores quad-core no espaço de um único processador, e esses dois processadores vão trabalhar de forma independente, para entrar em ação em momentos específicos. Um deles atua com as tarefas mais simples, enquanto que o outro se encarrega com as tarefas mais complexas e pesadas no smartphone. Mas ambos trabalhando juntos, gerenciando o sistema juntos, e convertendo esse trabalho todo em uma economia de bateria e melhor performance.

Sabe, lá atrás, quando comecei a ouvir falar de smartphones na minha vida (na metade da década de 1990), eu me dava por satisfeito se eu tivesse um telefone com funções de agenda eletrônica, ou que pudesse gerenciar meus contatos e compromissos de forma eficiente. Os modelos de Palm que eu tive no passado faziam isso muito bem, e até mesmo alguns celulares mais incrementados, que insistentemente chamávamos de “smartphone” pela gama de recursos conseguiam fazer isso sem uma grande necessidade de recursos de hardware. Um processador bem mais simples, com poucos MHz e pouquíssima quantidade de RAM era o suficiente para gerenciar uma ROM bem feita.

Hoje, ficamos irritados quando trabalhamos com um smartphone com um único núcleo de processamento. E posso dizer que não é nenhum exagero essa irritação.

Com o passar dos anos, os fabricantes aumentaram nossas expectativas em relação aos dispositivos móveis. Ofereceram mais e mais possibilidades aos smartphones, que hoje, para muitos casos, eles substituem o nosso notebook em tarefas simples. Logo, quanto mais rápido ele “pensar”, e quanto maior for o “fôlego” (a.k.a. RAM) ele tiver, mais coisas ele vai fazer. Mas muitos achavam que os processadores para dispositivos móveis estavam chegando em seu ponto limite de evolução e desenvolvimento com os processadores quad-core. Pois bem, a Samsung chega para mostrar que o limite é um pouco além disso, com uma solução que podemos dizer que é uma inovação, já que pouquíssimos fabricantes tinham pensado nisso antes.

Sem falar em todo o trabalho de engenharia envolvido para colocar dois processadores em um espaço ainda menor, dentro de um único chip. Tudo indica que os sul-coreanos dessa vez deram um passo muito consistente para oferecer o smartphone “dos nossos sonhos”. Não que ele já não exista, mas ter um dispositivo que é mais potente, mas que oferece uma eficiência de autonomia de bateria de até 70% maior que a média do mercado é simplesmente o sonho de todo geek.

Nessa semana, respondi o comentário de um internauta dizendo que era “um absurdo” um RAZR HD ter uma autonomia de bateria que é suficiente para aguentar o horário comercial (das 9h até as 18h). E isso porque estamos falando de um dispositivo com processador dual-core de 1.5 GHz, tela de 4.7 polegadas HD, conectividades 3G, WiFi, GPS… enfim, uma gama de recursos que naturalmente consomem uma grande quantidade de bateria. Até compreendo o desconhecimento do usuário (pois a maioria é assim), mas em partes, eu concordo com ele. É difícil de entender que os fabricantes tenham chegado nesse ponto de desenvolvimento de hardware, mas não encontraram uma solução para aumentar a autonomia de bateria nos dispositivos.

Quem sabe a solução está justamente no processador, parte vital no gerenciamento de todos os recursos do equipamento. Mais: quem sabe a solução seja justamente aumentar a capacidade de fazer mais coisas ao mesmo tempo, e direcionar o que esses núcleos a mais vão fazer. No mundo “normal”, em grandes corporações, as funções designadas se convertem em melhores resultados para todos. Talvez a Samsung também tenha entendido isso, e descoberto no Exynos 5 Octa a nova fase no segmento de processadores para smartphones.

Torço para que seja verdade, e para que os demais fabricantes acompanham essa mesma ideia.

Jabra apresenta os seus novos fones de ouvido Revo, Revo Wireless e Vox

by

A Jabra apresentou três novos fones de ouvido durante a CES 2013, pensados nos amantes da música. Abrem os trabalhos os modelos Revo e Revo Wireless com Bluetooth (foto acima), um par de fones com processamento de áudio Dolby Digital Plus, assim como um aplicativo especial para iOS e Android, para que você consiga extrair o máximo de desempenho para ouvir as suas músicas preferidas.

Se você prefere um produto menos volumoso, a empresa também apresentou o modelo Vox, que tem um design bem peculiar. Por enquanto, não há detalhes concretos sobre o preço ou data de lançamento desses produtos, apesar da Jabra estimar que todos estarão disponíveis durante o segundo trimestre de 2013.

Via Jabra

D-Link apresenta o SharePort Go, um router de bolso com leitor de cartões SD

by

Um roteador no bolso? Claro que sim! Ter internet em qualquer lugar é algo que todos nós queremos desde antes da invenção da própria internet (talvez). Por isso, a D-Link apresentou o SharePort Go, um roteador portátil que transforma o acesso à internet via Ethernet em um hotspot Wi-Fi, contando ainda com a vantagem de ter uma bateria integrada, além de compartilhar o conteúdo multimídia.

Imagine você, chegando no seu quarto de hotel, e contar apenas com um acesso à rede via Ethernet. Ou seja, seu tablet, smartphones e até mesmo ultrabook (sem entrada Ethernet) ficarão offline. Com o SharePort Go, isso não acontece, já que o produto compartilha a rede com cabo no modo sem fio.

O modelo ainda conta com um leitor de cartões SD, e a possibilidade de compartilhar a conexão através de modems 3G. Seu preço é de US$ 120, e chega ao mercado norte-americano em abril.

Via Engadget