@oEduardoMoreira

De tudo, um pouco de mim

Tag Archives: IDC

Vendas globais de smartphones podem alcançar a marca de 1 bilhão de unidades no final de 2013

by

motorola-moto-g-0000

O ano de 2013 está chegado ao fim, mas ainda temos pouco mais de 30 dias de vendas, e no período mais rentável do ano: o Natal. E por conta desses 30 dias, o mercado pode registrar a expressiva marca de 1 bilhão de unidades vendidas até o dia 31 de dezembro de 2013.

O IDC faz tal afirmação, baseado no seu último estudo de mercado. De acordo com os analistas de mercado, as vendas de smartphones cresceram 39.3% desde 2012, e o envio de dispositivos móveis para o mercado mundial deve alcançar a marca de 1.7 bilhão de unidades por ano até o ano de 2017.

Os principais responsáveis por esse crescimento (segundo a IDC) são os mercados emergentes, que devem registrar aumentos constantes nas vendas de smartphones nos próximos anos. Nesses mercados, os preços seguem caindo, e os smartphones de entrada e/ou intermediários estão substituindo os chamados feature phones (dispositivos com recursos e aparência de um smartphone, mas sem as mesmas características de hardware e software de um telefone inteligente).

Segundo Ryan Reith, diretor da IDC, o jogo mudou drasticamente no mercado de smartphones. “Não faz muito tempo que a indústria como um todo falava em conectar o próximo bilhão de pessoas, e isso hoje pode ser assumido que a maioria dessas pessoas vão abandonar os seus feature phones. (…) Os smartphones são agora uma opção muito real para conectar esse próximo bilhão de usuários”.

Para Ramon Llamas, gerente de pesquisa da IDC, a palavra-chave para um maior volume de vendas de smartphones nos próximo anos segue sendo “preço”. A expectativa de queda de valores dos produtos é o que impulsiona as vendas nos mercados emergentes. “Particularmente nos mercados emergentes, onde a variação de preços é tão importante, os valores devem cair, e produtos que antes pertenciam à elite urbana estarão nas mãos dos mercados de massa. Cada fabricante vai procurar descobrir o quão baixo eles podem determinar o preço de seus dispositivos, oferecendo uma experiência robusta para o produto, e ainda obter lucro com isso”.

Um claro exemplo do que estou falando está justamente no Motorola Moto G, que ilustra essa publicação. Ele não é um modelo top de linha, mas na faixa de preço que o produto se posiciona, e com as especificações técnicas apresentadas, considero o modelo, sem medo de errar, a melhor relação custo/benefício entre os modelos intermediários. E entendo que os demais fabricantes terão que seguir o exemplo da Motorola para seguirem competitivas no mercado intermediário de smartphones.

Via IDC

Boas notícias para Nokia e Microsoft. Pelo menos na América Latina (finalmente)

by

ballmer-windows-phone

Pode sorrir, Steve Ballmer! Pelo menos nós aqui da América Latina te amamos! Bom, quero dizer, amamos o Windows Phone. É o que revela a última pesquisa de mercado realizada pela IDC. No segundo trimestre de 2013, o sistema operacional móvel da Microsoft ultrapassou o iOS da Apple em participação no mercado latino-americano, sendo assim o segundo colocado no market share. E essa já pode ser considerada uma vitória para a Microsoft e, por tabela, para a Nokia.

O estudo mostra que o Windows Phone saiu da quarta para a segunda posição no México, Peru e Colômbia, além de registrar um avanço da quarta para a terceira posição nos mercados mais fortes do continente, que são Argentina, Brasil e Chile. Foi um crescimento de 12% em apenas três meses, muito em parte por causa dos lançamentos recentes da empresa (os novos modelos Lumia), e o sucesso do Lumia 520 nesses mercados, que são considerados emergentes.

Colocamos aqui uma boa notícia para a Nokia, por tabela. Afinal de contas, para não dizer que só a Nokia vende smartphones com o Windows Phone, 80% do mercado de dispositivos com o sistema da Microsoft estão nas mãos dos finlandeses. Logo, pela lógica, os méritos desse crescimento também vai para a Nokia e seus produtos.

Algo que é importante destacar é que a Nokia está com um crescimento em mercados considerados emergentes, mas onde justamente ainda contam com consumidores em potencial. Países como o Brasil e o Chile (mesmo com o dólar disparando e com uma crise econômica iminente) ainda contam com poder de consumo maior que os mercados da Europa e dos Estados Unidos, que ainda lutam para sair da crise.

Logo, é importante a Nokia/Microsoft ganhar terreno com esses mercados. Aliás, as vendas do Windows Phone na América Latina foram decisivos para que o sistema operacional ultrapassasse a BlackBerry, que considero como um adversário direto da Microsoft nessa luta pelo terceiro lugar no mercado de sistemas operacionais móveis.

E é a prova que nem tudo está perdido nessa parceria entre Nokia/Microsoft. Demorou, mas parece que os primeiros frutos começam a ser colhidos. As pessoas passam a confiar (e apostar) mais no sistema da gigante de Redmond, mesmo com uma grande desvantagem na oferta de aplicativos e alguns problemas sérios de funcionalidades que precisam ser ajustados.

Além disso, historicamente, a Nokia sempre vendeu bem na América Latina, e especialmente no Brasil, ainda conta com uma clientela considerável. Os usuários da Nokia mais fervorosos se mantém fiéis à empresa, e esse processo começa a tomar um tom de expansão, ainda mais com o novo Nokia Amber (versão do Windows Phone exclusiva para os dispositivos dos finlandeses) e com a primeira grande atualização do Windows Phone 8 a caminho.

Resumindo: pode sorrir, Steve Ballmer! A América Latina te adora! Ops, quero dizer… está começando a adorar o Windows Phone. De verdade.

Os smartphones já superam os celulares convencionais nas vendas da Europa

by

O estudo foi feito pela IDC, e mostram que no último trimestre, os celulares convencionais venderam apenas 20,4 milhões de unidades, o que é uma queda de 29%, se comparado ao mesmo período em 2010. Por outro lado, foram 22 milhões de smartphones vendidos no mesmo período, o que representa um aumento de 49%. O Android é o sistema dominante na Europa, com um crescimento de 352% em relação ao ano passado. O iOS cresceu 64%, mas fica em terceiro lugar, ficando atrás da Nokia.

via MocoNews