Tag Archives: One+

HTC usa de bom humor para promover o HTC One, que é “apaixonante” (em vídeo)

by

htc-one-bachelorette-ad

A HTC precisava realmente ser mais agressiva com o seu marketing. E uma forma de ser bem agressivo é ser bem humorado. Nesse caso, para promover o lançamento do HTC One, eles contaram com a ajuda do pessoal do site Funny or Die, para fazer uma paródia de um episódio do reality show sobre namoros The Bacherolette.

No vídeo, eles reproduzem uma cena de programa, onde uma garota está escolhendo o seu próximo smartphone, com a ajuda do ator James Van Der Beek (Dawson’s Creek). Obviamente, o HTC One foi o vencedor.

O vídeo foi publicado rapidamente pela Funny or Die, mas depois foi removido. Porém, alguma alma no YouTube conseguiu republicá-lo. Logo, clique no link abaixo enquanto ele ainda está disponível.

Via YouTube

HTC UltraPixel: assim é a nova câmera do HTC One

by

Levando em conta que o potencial fotográfico começa a ser um dos pontos fundamentais na hora de seduzir os compradores de um smartphone de uma nova geração, a HTC tem uma interessante carta na manga para aumentar o interesse no seu último lançamento, o HTC ONe. Falo de sua nova câmera UltraPixel, um avançado sistema que reúne uma série de características capazes de dar vida a uma câmera nunca antes vista em um smartphone. Mas… o que ela tem de tão especial assim? É justamente isso que vamos tentar descobrir nesse post, analisando as principais características dessa tecnologia.

O sensor

A primeira coisa que chama a atenção na UltraPixel é que as imagens resultantes de sua câmera são de “apenas” 4 megapixels. Sim, parece que a HTC interiorizou o sábio conselho dito por muitos que afirmam que: “os megapixels não são tudo”. O resultado disso é que temos um sensor de 1/3″ com uma resolução de 2.668 x 1.520 pixels, algo que é possível graças aos pixels que alcançam os 2 μm, sendo esta a primeira das características mais destacadas do seu captor. Graças a este gigantesco tamanho (normalmente esse valor é de apenas 1.12 μm, como é no caso de uma Exmor RS), o fabricante garante que suas câmeras podem capturar até 300% a mais de luz em relação aos seus competidores, já que os pixels são mais sensíveis e abarcam mais espaço.

 

Ou seja, estamos diante de uma vantagem física. Com uma superfície maior de captura, as melhorias são imediatas. A HTC garante que os resultados podem ser apreciados em condições de baixa luminosidade, onde o pixel se encarrega de obter a maior quantidade de luz possível, sem precisar utilizar o flash.

Abertura f/2.0

Além dos pixels, um elemento especial na hora de capturar a maior quantidade de luz possível é o diafragma. Para isso, a HTC incorporou uma com uma abertura máxima de f/2.0, um valor que, mais uma vez, a posiciona como a maior do mercado (ao lado da Lumia 920), já que competidores tão diretos como o Xperia Z (Exmor RS), o iPhone 5 (Exmor R) e o Galaxy S III ficam com valores de f/2.2, f/2.4 e f/2.6, respectivamente. Graças a isso, o sensor contará com muito mais luz, e na parte criativa, podemos obter o melhor efeito Bokeh possível com um smartphone.

As lentes

O que seria de uma câmera sem uma boa lente? Tal e qual afirma a HTC, longe de sua capacidade focal, o sucesso de uma boa foto se deve basicamente a dois fatores: o tempo de disparo a partir do momento que acionamos o disparador, e a capacidade de estabilização. Isso é algo que eles levaram muito em conta, e para isso, eles conseguiram chegar em um tempo de disparo de apenas 0.002 segundos, uma marca melhorada se levarmos em conta os 0.03 da câmera do HTC One X. Mas a principal incorporação está na sua estabilização, que é feita por software.

O novo HTC One incorpora um estabilizador de dois eixos, onde é possível compensar os movimentos durante o disparo e as gravações de vídeos. Um sistema que é aparentemente o mesmo que está presente no Lumia 920, já que ele controla tanto a inclinação como o giro, com um rendimento de 2.000 correções por segundo.

O processador ImageChip

Como não poderia ser de outra forma, por trás de todas essas configurações, temos um belo processador encarregado de controlar a situação, e que oferece uma série de funções que melhoram ainda mais todo o conjunto da UltraPixel. Uma das mais chamativas é a capacidade de gravar vídeos em HDR, algo que já era visto no novo Exmor ES, e que a HTC parece oferecer da mesma forma. Segundo explicam, a captura é feita a partir de 60 imagens entrelaçadas por segundo, que são tratadas em tempo real pelo processador ImageChip, para dar lugar aos vídeos em 1080/28p.

Por outro lado, eles incluíram um foco com 200ms de tempo de resposta, permitindo assim que a gravação seja contínua e sem cenas fora de foco, ao menos que busquemos essas cenas de forma intencional. Obviamente, usando esse valor, algumas distorções são produzidas na imagem, algo que a HTC já tem conhecimento, e que vai corrigir através de uma compensação automática.

O potencial do processador serve também para dar vida ao Zoe, um peculiar modo que cria um filme de 3 segundos (a 1080/30p), a partir de imagens disparadas com uma velocidade compreendida entre 4 e 5 fotos por segundo. Inclui ainda um buffer capaz de capturar imagens antes e depois do disparo, algo muito semelhante a outras soluções que podemos ver na concorrência.

Por fim, a presença de ruído nas imagens obtidas em cenários com baixa luminosidade também será controlada por um algoritmo. Com ele, teremos uma redução no ruído da imagem, reduzindo a presença de distorções, e podendo ser aplicado nas câmeras frontal e traseira do HTC One.

Um novo passo para a fotografia?

Essa é a nova aposta da HTC para o segmento fotográfico em smartphones. É uma solução completa que, longe de buscar o primeiro posto na corrida por megapixels, preferiu reunir recursos de todo o tipo para criar um conjunto equilibrado e com grande potencial. Os 4 megapixels parecem ser mais que suficientes para o fabricante, deixando para trás os rumores que afirmavam que eles contariam com um sensor de 3 capas com tecnologia similar ao da Foveon, onde era possível conseguir até 13 megapixels com uma posterior interpolação. No seu lugar, eles optaram pela clássica distribuição Bayer, com a novidade de incluir pixels de 2 μm quadrados.

A própria HTC deixa claro que as imagens resultantes podem ser vistas de forma perfeita em uma televisão com HD. Agora… serão suficientes para o usuário? Provavelmente para a grande maioria que faz do seu smartphone a sua câmera para registrar imagens, os 4 megapixels oferecidos na UltraPixel são mais que suficientes. Apenas um grupo menor de usuários mais exigentes vão precisar de mais.

Tal como a Nokia fez com o PureView, o HTC One é o primeiro passo para construir uma nova família de dispositivos com UltraPixel, denominação essa que, longe de indicar uma nova tecnologia em pixels, simplesmente dá nome a uma nova geração de dispositivos com maior protagonismo para a fotografia. Estou certo que a UltraPixel vai evoluir, mas por enquanto, podemos dizer que, ao menos no papel, a aposta da HTC é muito interessante.

Gadget Fake: HTC One “S”, com duplo chip SIM, copiado descaradamente

by

Os piratas chineses não deixam de me surpreender com a sua rapidez. Ainda que algo nos diz que este falso (na verdade, muito falso) HTC One “S” não é nada mais que um design genérico a espera que algum fabricante legítimo lance algo semelhante, de modo que ele possa fazer algum dinheiro nas costas do sucesso dos outros.

Diferenças estéticas à parte, o Gadget Fake da vez se destaca pela presença de dois slots para chips SIM e uma tela qHD de 4,3 polegadas, algo que não é normal nesse tipo de falsificações, além de contar com uma câmera de 8 megapixels com flash LED e até Android 4.0, com sua própria interface no estilo Sense.

Preço: 1.500 yuanes, ou US$ 237.

a-JAYS One+, os fones de ouvido vindos da Suécia

by

Não é um fone de ouvido qualquer. Esse veio da Suécia. O a-JAYS One+ tem função handsfree e um belo acabamento em black piano. O modelo é compatível com telefones da Samsung, RIM, LG, HTC e Apple, e conta com controles de volume e atendimento de chamadas no cabo. Os fones funcionam muito bem com os sistemas iOS, Android e Windows Phone (conta com um aplicativo para o Android para configurar os fones). Estará disponível no mercado internacional até o final do ano, por um preço de US$ 50.

via Jays.se