Taison.

Para quem não sabe quem é esse cara, ele é atacante do Shakhtar Donetsk da Ucrânia. Não, ele não joga em um grande centro do futebol, mas muito provavelmente também é nossa culpa não acompanhar o que ele está fazendo por lá. Afinal de contas, estamos em um mundo globalizado, e hoje podemos ver os campeonatos de qualquer lugar do planeta.

Basta estar na internet.

Porém, de fato, muita gente protestou rapidamente com a convocação do Taison. Porque tinha nomes que estavam com maior visibilidade e expressão nessa temporada. E, para muitos, a Seleção Brasileira se baseia no momento em que os jogadores estão vivendo dentro dos seus clubes.

De um modo geral, a lista de 23 jogadores convocados pelo Tite é boa. Não podemos dizer que não são os melhores em atividade. No papel, qualquer outra seleção que enfrentar o Brasil terá medo quando olhar para a lista dos 11 titulares.

Além disso, Tite se valeu da coerência para a sua lista final. Ela reflete todas as suas convicções apresentadas ao longo de sua trajetória na frente da Seleção Brasileira. E não dá para discutir: o seu trabalho fez com que o time do Brasil apresentasse resultados consistentes e uma performance de alta qualidade na maior parte do tempo.

Logo, ‘in Tite, we trust’.

Não acho que vai ser um Taison que vai desmoronar todo o trabalho apresentado até agora. Pode até ser que o cara não pise em campo na Rússia em sete jogos. Mas é uma peça de um grupo. Uma parte de um todo. Certamente Tite está olhando para ele algo que não conseguimos ver.

Ainda acho que será bem difícil para o Brasil vencer o mundial da Rússia. Especialmente pensando na trajetória da segunda fase da Copa. Bélgica, França, Espanha e Alemanha vem muito fortes, e essas seleções podem entrar no nosso caminho.

Por outro lado… se eu fosse o treinador de qualquer um deles, começaria a me borrar de medo depois dessa convocação.