bitcoins

James Howells está, nesse momento, vasculhando um imenso aterro em busca de US$ 90 milhões em Bitcoins perdidos.

Pior do que não comprar Bitcoins quando eles não valiam nada é saber que milhares de Bitcoins em carteira foram jogados no lixo. James aderiu à moeda virtual no seu começo, em 2009, gerando 7.500 Bitcoins antes de suspender as operações por conta das queixas de sua namorada sobre o barulho feito pelo computador sempre ligado.

O computador foi jogado no lixo depois de um acidente (uma limonada foi despejada em cima do equipamento), mas o disco que armazenava os Bitcoins ficou em uma gaveta por três anos… até que o móvel foi par ao lixo.

Em 2013, com os Bitcoins valendo US$ 100, a consciência de James começou a pesar. Mas foi no final de 2016 quando a moeda alcançou apreciáveis US$ 1.000, o arrependimento chegou na casa dos milhões. Algo que doeu (e muito) quando a moeda virtual bateu na casa dos US$ 12 mil, fazendo com que US$ 90 milhões ficassem no lixo.

James considera seriamente seguir o rastro do disco rígido, revirando completamente o aterro que recebeu o periférico. Porém, além da dificuldade em seguir o rastro do lixo e eventualmente encontrá-lo entre toneladas e toneladas de dejetos, as chances desse disco ser recuperado depois de meia década nessas condições são remotas.

Mas… quem sabe essa é a única forma de James conseguir dormir em paz um dia. Se tudo isso o incomoda nesse momento, imagina se o Bitcoin bater na casa dos US$ 100 mil? O arrependimento chega na casa dos milhões, e esse seria o lixo mais caro da história.

 

Via Independent