Estudos da Universidade de Michigan encontraram evidências que a vida dos homens que contam com esposas mandonas e controladoras é maior do que os homens que não tem esse tipo de esposas em casa.

Isso não é uma casualidade, e a explicação é bem lógica. A saúde de quem tem uma esposa controladora é melhor já que elas tendem a tratar os maridos como crianças e, ao fazer isso, cuidam dos seus hábitos alimentares e de condicionamento físico. E isso inclui proibir as saídas para beber com os amigos.

Isso tudo evita enfermidades como diabetes, hipertensão e outros problemas cardíacos, uma vez que ele vive longe de maus hábitos que podem arruinar a sua saúde.

Além disso, ter uma relação de mãe e filho com a sua própria esposa transforma o homem no verdadeiro santo graal da psicanálise. Bom, ao menos você vai viver mais tempo que vários dos seus amigos.

Eu não tive uma esposa controladora, mas sim alguém que cuidava muito bem de mim. Mas meu pai teve em minha mãe uma mulher bem controladora, e está vivo até hoje. E sobre o comportamento detectado no estudo, é bem isso mesmo. Logo, eu confirmo o estudo por experiência prática comprovada.

É claro que muita gente define como VIDA algo onde você tem a liberdade de ser feliz, e para alguns maridos ter uma esposa mandona e controladora está bem longe de poder compartilhar de bebidas e petiscos com amigos no bar, o que em algumas cidades é sinônimo de felicidade (protegida por lei, inclusive).

Mas independente de qualquer estudo, o mais importante é você entrar em um mínimo de entendimento com aquela pessoa que quer cuidar de você e da sua saúde (em alguns casos essa pessoa está disfarçada de carrasca controladora e castradora). É como eu disse antes: pelo menos você vive mais, ou seja, sempre tem algo bom que acaba compensando, não é mesmo?