Compartilhe

Como seria sem a música? Nem quero imaginar…


Eu amo música. De verdade. Se isso não fosse verdade, não estaria aqui compartilhando as minhas histórias com a música com vocês.

Recentemente, me coloquei à prova sobre as minhas capacidades e possibilidades dentro da música. Queria saber o quanto estava pronto para dar passos maiores dentro do universo musical.

Porém, o teste seletivo é cruel na maioria dos casos. Vontade e desejo não bastam. Você precisa ser impecável, porque uma banca julgadora está buscando o melhor. Os tecnicamente mais preparados. E aqueles que, ao longo de uma vida toda, estão com uma vontade tão ou mais forte que a sua para fazer música.

Eu não fui aprovado.

Isso me deixou chateado inicialmente. Porque eu queria passar. Queria a tal auto afirmação. Mostrar para mim mesmo que eu era capaz de fazer. Não consegui.

Mas… ao não conseguir, eu aprendi valiosas lições. Algo que só a música poderia me oferecer.

Para começar, esse seletivo mostrou que eu sei sim cantar. Fiz o possível dentro das minhas possibilidades e conhecimentos. E, dentro disso, apresentei evolução, o que me deixa muito feliz. Eu estou cantando melhor sim.

Porém, eu não estou no mesmo nível daqueles que fizeram isso a vida toda. Que se dedicam em tempo integral à música. Eu tenho outros amores na vida. Tenho na tecnologia o amor que paga as minhas contas. E não poderia hoje jogar tudo para o alto para viver de música.

Sem falar que, para viver de música, eu deveria ter começado bem antes. Tal e como eles fizeram. Logo, seria injusto tirar a vaga de alguém que vivencia a música todos os dias.

E tudo isso não me deixa mal. Pelo contrário.

Eu agora sei o que quero fazer com música. Sei o que devo fazer para melhorar, sei onde quero chegar na música. Sei quais são os tipos de corais que eu posso cantar. E sei que posso entrar em qualquer um deles, a hora que eu quiser. Basta eu simplesmente cantar. Posso não estar no nível dos profissionais, mas dentro do meu universo, eu sei que estou entre os melhores.

Até porque é preciso ter muita coragem para tentar, e a maioria dos meus iguais ficou em casa no domingo, sem enfrentar o frio da noite, ou a frieza de uma seletiva.

Daqui para frente, eu sei que serei melhor.

Meus ombros estão menos pesados. Minha mente está mais limpa. A seletiva me deu ainda mais coragem de fazer a música do meu jeito, de me permitir assimilar mais do aprendizado. Experimentar mais, testar mais. Buscar mais timbres e sonoridades que podem me tornar ainda melhor.

E eu só poderia aprender tudo isso através da música. A derrota aparente me abriu portas. E eu sempre pedi a Deus que me mostrasse o que fosse melhor para mim. Nunca pedi para que desse certo.

Mais uma vez, fui atendido. Hoje, sei que tenho todo o potencial de me tornar um músico muito melhor.

Sim. Agora me vejo como um músico. Porque eu sei o que quero e posso fazer em música.

Por isso…

Eu agradeço à música. De novo.

Agradeço porque antes ela salvou minha vida por pelo menos três vezes. Agradeço à música por me inspirar todos os dias, por me motivar a seguir em frente, a ser alguém um pouco melhor a cada dia. A alimentar meus sonhos, a despertar a minha sensibilidade, a me tornar mais humano em um mundo tão individualista.

Eu agradeço à música por me mostrar mais uma vez o caminho a seguir. A me mostrar que devo sim melhorar, que devo respeitar o aprendizado, mas que não devo mais ter medo de fazer a música que mais fala alto ao meu coração. Agradeço por me tirar mais um pouco do medo que ainda mora em mim, por motivos que eu nem sei. Agradeço por me tornar mais forte, mais corajoso, mais completo.

Agradeço à música. Agradeço pelas canções que cantei e canto até hoje. Agradeço à música por ter me entregado as melhores coisas que aconteceram na minha vida. Por me apresentar pessoas incríveis. Por me presentear com alguns amigos inesquecíveis. Por me fazer feliz com algo tão especial. Por me tornar especial aos olhos de muita gente.

Por conta de tudo o que aprendi até hoje (inclusive as lições de vida), e para tudo que eu ainda vou aprender, eu agradeço, de coração, por existir música em mim. Pela música estar na minha vida.

Como eu poderia viver sem música? Impossível!

Não consigo imaginar isso.

Sem música, eu já estaria morto.

Podem ter certeza disso.



“Thank You For The Music”
(Benny Andersson, Björn Ulvaeus)
ABBA, 1977


Compartilhe