Compartilhe

Nos prometeram um futuro com carros voadores e pizzas em segundos, e no lugar disso, nos entregaram deepfakes com a Gal Gadot em um corpo de uma atriz pornô ou um bebê com a cara do Elon Musk. Só eu acho tudo isso um péssimo uso de uma tecnologia avançada?

Os deepfakes (vídeos falsos feitos com a ajuda da Inteligência Artificial) são a pauta do dia, e deixam muita gente preocupada sobre o mau uso que podem dar para o recurso. Por enquanto, o canal do YouTube The Fakening só se preocupa em divertir pessoas… ou reforçar que a internet é um local bem estranho e aleatório.

O canal combina os melhores deepfakes da internet, mas com o objetivo de divertir as pessoas. O dono do The Fakening é Paul Shades, programador que cria deepfakes nas horas vagas do seu trabalho. O seu canal tem uma série de vídeos que, em comum, contam com o objetivo de gerar algumas risadas aos espectadores.

 

 

A tecnologia da IA que quer fazer você rir com deepfakes

 

 

É claro que temos vídeos com conotações políticas, mas não é algo como Barack Obama apoiando a manutenção de Guantanamo. A ideia aqui é fazer rir, como transformar Keanu Reeves em Chris Delia.

O canal já conta com feitos importantes, como 700 mil visualizações no vídeo do bebê Musk. Os vídeos contam com a ajuda da IA, mas não são os mais precisos do mundo. Não encontramos algo hiper-realista aqui, pois para obter resultados melhores, é preciso ter mais tecnologia, tempo e dinheiro para tal.

 

 

 

Mas ao menos o The Fakening não esconde que quer ser visto como piada. E o mais importante: o canal mostra como é acessível esse tipo de tecnologia, e hoje qualquer pessoa pode produzir deepfakes em casa. Ao mesmo tempo que isso será um problema no futuro, pois programas específicos podem produzir deepfakes em minutos, e isso em mãos erradas pode ser um desastre.

Ao menos temos pessoas que querem fazer rir com as deepfakes. Os primeiros vídeos com essa tecnologia mostrava como o recurso poderia acabar com a imagem das pessoas, colocando rostos de celebridades em corpos de atrizes pornô.

Vamos torcer por um mundo com mais memes sofisticados e menos ações perversas, como foi no recente caso do DeepNude. Podemos sempre evoluir e nos divertir com essa evolução, e o The Fakening é a prova disso.

 

 

 

Acesse | The Fakening


Compartilhe