Compartilhe

É triste reconhecer a realidade. Mas…

Algumas séries ainda conseguem uma grande audiência, mesmo depois de tantos anos no ar. Mas nenhuma das séries repete o sucesso de The Simpsons. Depois de 30 anos no ar e, obviamente, mais de 30 temporadas, testemunhamos a família amarela (que representa o norte-americano médio) se metendo em todo e qualquer tipo de situação.

A série evoluiu com o passar dos anos, mas a necessidade de se manter atualizada com as piadas e conteúdos resultou em um efeito colateral indigesto: The Simpsons não é uma série tão divertida quanto era, e infelizmente está na hora de encerrar as suas atividades.

 

 

Referência de cultura pop em estado puro

A evolução de The Simpsons acompanha a evolução da própria sociedade. A série sempre se manteve atual nas suas histórias, apresentando os temas mais influentes e pequenas referências desses assuntos em cada uma de suas fases. Indo de conflitos políticos até temperamento de presidentes, incluindo criticas sociais diretas ou temas mais moralistas, a série de Matt Groening nunca teve medo em falar da realidade que nos cerca de forma ácida e direta.

Isso virou uma faca de dois gumes: a própria série se tornou uma referência cultural para outras produções, sem falar nos memes atuais. The Simpsons é uma das séries mais comentadas no Twitter, e isso não é pouca coisa. O impacto cultural da série é tamanho, que o dicionário Oxford colocou a expressão de reclamação de Homer, “D’oh” como um verbete próprio da linguística inglesa.

 

 

Referências, participações especiais e publicidade

Porém, uma das maiores mudanças que The Simpsons sofreu foi a monetização da fama e o seu alcance. No começo, eram pequenas aparições e referência de clássicos do cinema. Mas agora, é uma grande plataforma de publicidade.

Aparições de Michael Jackson, Cypress Hill e Stephen Hawking começavam a influenciar nos roteiros alocados da série, o que não é algo muito positivo. O problema ficou cada vez mais presente com o passar dos anos, com histórias inspiradas em personagens e séries da moda, como foram nos casos de 24 Horas e Game of Thrones.

As alusões sociais ficaram em um segundo plano, o que fez com que a série perdesse o tom crítico das primeiras temporadas. Mesmo com as mais fortes referências recentes para a aquisição da Disney, as participações recorrentes continuam, mas de forma mais bem cuidada e trabalhada nas aparições.

 

 

O filme

Um dos maiores pontos de inflexão de The Simpsons aconteceu com o seu primeiro e único filme, em um formato contraproducente para o estilo multi-histórias do programa de TV.

A tentativa de incorporar muitas referências (várias delas forçadas) deixavam uma sensação distante do que os fãs queriam. Para muitos, o filme só valeu porque a série decidiu rir desse filme em vários episódios, incorporando inclusive o Porco-Aranha em alguns episódios.

 

 

The Simpsons perdeu o seu público alvo?

Mais do que perder o humor, The Simpsons começou a incluir muitas referências do mundo atual, que só o público mais jovem compreende. Assim, a série começa a perder contato com o seu público original, que é mais apegado à série, mas que está começando a abandoná-la.

Apesar de querer que The Simpsons me acompanhasse ao longo da vida, tudo indica que a mesma está chegando ao fim. E o fim é algo inevitável para tudo nessa vida.

É triste reconhecer isso. Mas é necessário. The Simpsons precisa chegar ao fim.


Compartilhe