O Thiago é um amigo meu de longa data. Ele trabalhou comigo por algum tempo, e nos tornamos desde então inseparáveis. Sair juntos, jogar conversa fora, ver filmes e, é claro, comprar gadgets.

Ele nunca teve muita grana. Aliás, eu também não tenho. Só conto com a oportunidade de testar os produtos de tecnologia antes de todo mundo, e receber alguns desses produtos. E tudo isso é fruto do meu trabalho.

Mas o Thiago não tem essa chance. Trabalha mês a mês, de sol a sol, dia após dia. Ele é um batalhador, um obstinado. Isso me faz ter muito orgulho de ser amigo dele, e até me inspira a seguir em frente na minha profissão.

Não faz muito tempo que o Thiago conseguiu juntar a grana para comprar um iPhone. Um iPhone usado, obviamente. Mas é um iPhone. Era o sonho da vida dele, e ele perseguiu esse sonho por anos. E ele pediu a minha ajuda para escolher o melhor modelo possível, dentro de suas possibilidades financeiras.

E lá fui eu ajudar o cara.

A primeira coisa que eu disse foi: “iPhone 4 ou 4S, nem pensar.” Nem o WhatsApp funciona nele mais. Quero dizer, se você ainda tem o aplicativo instalado no seu smartphone, ainda tem suporte até 2020. Mas como esse modelo só vai até o iPhone 8, ele vai deixar de funcionar

O iPhone 4 está mais que descontinuado, e me surpreende que alguém ainda tem esse modelo na mão. Ficar com um iOS tão antigo não é nem seguro para os usuários.

Também não recomendo o iPhone 5, que não é mais compatível com o iOS 12. Até mesmo o iPhone 5S, pois esses dois modelos devem deixar de receber as novas versões do sistema operacional a partir de 2019.

Expliquei então para o Thiago que, se a grana estiver realmente muito curta, comece a pensar na compra do iPhone 6. Não é a melhor opção, mas ao menos é um iPhone. Se a grana der, é melhor ir direto para o iPhone 6s.

Explico.

Por lógica, esse modelo ainda vai receber mais dois anos de atualizações do iOS, sem falar que o iPhone 6s não traz o problema do bendgate. Além, obviamente, do hardware mais avançado que aquele presente no iPhone 6.

Provavelmente o Thiago deve escolher entre o iPhone 6s e o iPhone 7. Esse modelo, para quem tem em torno de R$ 2.000, é uma escolha excelente. Tem longa vida em termos de atualizações, um ótimo hardware, câmeras ótimas e, com o iOS 12, um desempenho otimizado.

Hoje, se eu comprar um iPhone seminovo (está meio difícil nesse momento, mas vou tentar), seria o iPhone 7 (de 128 GB, pelo menos).

A partir daí, as opções ficam proibitivas para mim e para o Thiago. O iPhone 8 ainda tem elevado valor de mercado, o iPhone X, mesmo descontinuado, ainda está com um preço bem alto, e os novos iPhone XS, iPhone XR e iPhone XS Max devem ter preços inalcançáveis para nós.

De qualquer forma, eu pude ajudar ao Thiago, de acordo com as minhas habilidades e conhecimentos técnicos. Ele vai fazer a compra do novo iPhone no próximo final de semana.

E eu não vou ajudar na configuração, porque ele não tem Coca-Cola com Ferrero Rocher na casa dele.