Compartilhe

Algumas pessoas acabam emitindo declarações tão absurdas que eu fico pensando, de verdade: “que auto-estima da p*rr@… queria ser confiante que nem esse fulano”. Sim, pois apenas a confiança em si mesmo em níveis estratosféricos pode justificar tais declarações.

E… não… dessa vez eu não estou falando de um presidente de um certo país da América do Sul.

Se a Apple conseguiu surpreender muita gente em 2019 foi anunciar um iPhone 11 que tinha um preço mais barato que o iPhone XR do ano passado. Ter um iPhone 11 Pro ou 11 Pro Max com o mesmo preço que os seus equivalentes iPhone XS e XS Max não chega a ser uma grande novidade. Já estamos acostumados a ver a gigante de Cupertino atualizando o seu smartphone e, ainda assim, manter o preço do ano anterior, agregando valor ao produto.

Agora, um iPhone 11 US$ 200 menos caro que o normal? Isso chega a surpreender alguns mais entusiasmados.

Outra surpresa guardada pela Apple foram os preços dos seus dois serviços de assinatura no segmento de entretenimento, o Apple TV+ e o Apple Arcade. Levando em consideração que os dois serviços oferecem um plano familiar a US$ 9,99 por mês (no Brasil, R$ 9,99… sério, e isso mesmo que você acabou de ler…), dá até para imaginar que Tim Cook está fumando substâncias proibidas e adotando um novo estilo de gerenciamento comercial.

Mas não é bem assim que a banda toca. Ele pode até estar fumando alguma coisa, mas claramente é para seguir uma nova carreira: comediante stand-up.

 

 

“Sempre queremos cobrar barato”. HAHAHAHA…

 

 

Tim Cook deu uma recente entrevista para o site alemão Stern para falar sobre os novos iPhones e o novo serviço de streaming da empresa, o Apple TV+. E um dos temas da entrevista foia a estratégia de preços da gigante de Cupertino.

E é aqui que Tim Cook solta a sua pérola, no melhor estilo Gregório Duvivier:

 

“Sempre tratamos de manter os nossos preços os mais baixos possíveis, e felizmente conseguimos baixar o pre~co do iPhone esse ano”.

 

Lembrando que o iPhone 11 na Europa pode custar 809 euros, apenas 50 euros a menos que o iPhone XR de 2018.

Sério mesmo que Tim Cook mandou uma dessa? Tudo bem, o iPhone 11 menos caro é uma boa notícia para quem pensa em atualizar o dispositivo. Mesmo assim, ainda é um dos smartphones mais caros do mercado. De novo: é louvável ver um iPhone custando preços mais próximos da realidade atual do mercado, mas daí a afirmar que a empresa sempre buscou oferecer “preços baixos”?

1) eu não sei o que é conceito de preço baixo na opinião e visão de Tim Cook;
2) Isso é uma falácia sem sentido.

 

 

A preocupação com o novo serviço de streaming

 

 

Depois de todos respirarem com maior tranquilidade após uma repentina e incontrolável crise de riso, Tim Cook entende que a Netflix não precisa se preocupar com o novo serviços da Apple, já que os serviços de streaming não se excluem na opinião dele. De forma otimista, Cook afirma que muitos consumidores estão assinando vários serviços de streaming ao mesmo tempo, e o Apple TV+ quer ser apenas um desses serviços.

Cook também comentou sobre a pressão da Suprema Corte dos Estados Unidos, que afirma que a Apple monopolizou o mercado de aplicativos em iOS. Mas… monopolizar algo que é da própria Apple? Não faz o menor sentido não ver a Apple mandando em tudo nesse aspecto.

E aqui, eu tenho que concordar com Cook, que diz na entrevista que “nenhuma pessoa razoável chamaria a Apple de monopólio, já que temos entre 30 e 40 aplicativos, contra mais de 2 bilhões de vários outros apps”. Para o executivo, é como se a App Store fosse um grande supermercado, e a Apple vende produtos de sua própria marca com artigos de outras marcas.

De novo: Tim Cook mostra aqui que quer ser um comediante stand-up. Quem sabe não é mesmo uma nova carreira que se abre para ele…

 

Via Stern


Compartilhe