lulu-santos

Lulu Santos | Aquilo | Calendário | 1999

Outra vez a mesma história, volta sempre a acontecer

1999… vai ser só mais um ano… um dia na vida, uma gota no oceano… ops, essa é outra música. Enfim, 1999 foi um dos melhores anos em termos de música, e um dos melhores anos da minha vida. Estava me definindo como homem que paga suas contas e seus impostos, estava definindo o meu progresso profissional (inciado cinco anos antes)… mas faltava alguma coisa.

Faltava o amor.

Na verdade, com 20 anos de idade, você já sabe o que é o amor. Pelo menos, na teoria. Talvez você não o entenda, mas tem uma vaga ideia do que é se sentir amando alguém. Não que essa música me ensinou o que é amar, mas o seu videoclipe mostrou de forma tão peculiar diferentes e singelas formas de amor (mesmo que com uma linguagem completamente abstrata e de livre interpretação para quem está assistindo), que a música automaticamente se tornou uma das minhas trilhas sonoras daquele ano.

Até porque foi nesse ano que eu me dei conta de que estava realmente apaixonado pela mulher que hoje é a minha esposa.

Mas preferi ficar quieto, pois tinha a diferença de idade (ela é bem mais velha que eu), tinha a minha mãe (que era neurótica… bom, é até hoje, mas ela pode: é mãe), meu pai (que não dava muita bola para isso), e minhas irmãs (cada uma arrumando os seus próprios problemas). Enfim, uma família como outra qualquer.

Eu vivia naquele turbilhão todo, arrumando meus próprios problemas. Ainda tentando me encontrar. Mas percebi com “Aquilo” que eu sabia o que era sentir “aquilo” (que não é no sentido bíblico) por uma pessoa só. Eu sabia qual era aquela pessoa. Queria aquela pessoa. E deveria ser apenas uma questão de tempo. E, de fato, foi.

Gringo Cardia fez um ótimo trabalho nesse videoclipe. Com uma proposta retrô (década de 1950 total), em preto-e-branco, com um ótimo ritmo de edição, e com uma música que é um excelente hit pop. Aliás, o que Lulu Santos tem hoje de chato (quem assiste The Voice Brasil sabe do que eu estou falando), ele tem de excelência e qualidade como hitmaker. Ele sabe como compor músicas de qualidade. Sabe como tocar corações e mentes com harmonias e letras que se conectam diretamente com a alma daqueles propensos à isso.

Não foi nada difícil escolher essa música. Até porque ela foi um dos itens que me ajuda a dizer para minha esposa a frase “eu te amo”.

 

Para saber os critérios dessa escolha, clique aqui.