Compartilhe

Um grupo de engenheiros da Universidade de Stanford criaram um carro autônomo em um DeLorean, com o objetivo em demonstrar como este sistema de condução pode ser totalmente seguro até mesmo em situações perigosas.

Para a demonstração, o icônico DeLorean de 1981 foi transformado em um carro autônomo, recebendo o sugestivo nome de MARTY (entendedores entenderão a clara referência). O carro possui um sistema de derrapagem muito complexo e completo.

 

 

O verdadeiro objetivo é evitar futuros acidentes

 

Muito além de derrapar, o MARTY pode passar por um circuito complexo sem maiores problemas. Os membros do Dynamic Design Lab da Universidade de Stanford queriam entregar o mesmo nível de precisão que os especialistas humanos na técnica do drift.

Com esse tipo de aprendizado, o sistema de condução autônoma pode transformar essa experiência para ajudar que no futuro o carro autônomo se esquive de um pedestre na calçada, por exemplo.

A maioria dos carros autônomos estão preparados para superar cenários normais de condução. Já o MARTY quer ir além, uma vez que faz manobras de emergência e se comportam bem em superfícies como gelo ou a neve.

Não só isso. Seus responsáveis querem desenvolver veículos que podem utilizar a fricção total entre o pneu e a estrada para tornar o carro totalmente inofensivo, evitando acidentes que podem ser evitáveis de acordo com as leis da física.

A manobra de derrapagem é a contrária ao que os condutores realizam em situações de emergência, já que contraria a lógica. Estudar essa forma de condução permite a análise de um leque mais amplo de manobras em situações limite, e tal aprendizagem podem ajudar os futuros sistemas de condução autônoma.

A ideia é espetacular, e eu espero que funcione. Se bem que nenhum sistema de condução autônoma será tão incrível quanto dirigir um DeLorean em alta velocidade, derrapando lindamente na estrada em uma situação limite…

Onde será que eu vi isso antes? Será que foi no cinema?

 

 

Via Stamford News


Compartilhe