650_1000_samsungs5lujo-1

Os rumores sobre o novo Galaxy S6 estão mais fervilhantes que o calor que faz aqui em Araçatuba. Há quem diga que a nova versão do smartphone top de linha da Samsung vai ‘se aproximar’ do iPhone 4, oferecendo um acabamento de cristal e uma bateria não removível. Será?

Vale lembrar que o Galaxy S6 também é denominado como ‘Project Zero’, na tentativa da Samsung em reinventar completamente o seu smartphone top de linha. E tal reinvenção não é só no design, mas também no conceito geral do produto, assim como o emprego de seus materiais de fabricação. Mesmo porque os usuários não aguentam mais aquela carcaça de plástico, que passava a sensação de fragilidade (no lugar de segurança ou ‘produto premium’).

Como todo rumor que aparece nesses tempos que antecipam um grande evento de tecnologia (nesse caso, a Mobile World Congress 2015, que acontece em março em Barcelona), é sempre bom ter um pé atrás sobre o assunto. Não dá para a essa altura do campeonato pegar tudo ao pé da letra, e tomar como ‘certo’.

Por outro lado, das últimas vezes que os vazamentos de tecnologia apareceram nos veículos especializados, eles vieram de fontes muito seguras, que em muitas vezes acabavam se confirmando nos eventos de apresentação oficial do produto. É sempre bom lembrar que, hoje, fontes próximas aos fabricantes pipocam de onde menos se espera, indo de funcionários do fabricante até as empresas de acessórios para os futuros lançamentos.

Até que seria uma boa ter um Galaxy S6 com um outro tipo de acabamento. Uma ótima, aliás. Sairia do lugar comum, estabelecendo um novo padrão para o produto e agregando valor ao mesmo.

Porém, alguns usuários não vão gostar muito dessa história de não mais poder remover a bateria do smartphone, principalmente nos casos onde essa bateria está chegando ao final da sua vida útil após um dia de jornada. Será que essa escolha em específico se converte em um melhor desempenho geral do produto? Ou que, pelo menos para compensar, a Samsung vai aumentar a autonomia de bateria do novo smartphone (além de otimizar a sua bateria com recursos de software)?

Até que seria bom. Eu mesmo não ia reclamar muito de abrir mão da bateria removível por uma bateria com autonomia maior. Se bem que eu estou feliz com o Motorola Moto Maxx (não imagino trocá-lo tão cedo). Logo, fica a questão para os compradores em potencial da próxima versão do Galaxy S6.