Um jornal de 1922 conseguiu prever várias coisas sobre a tecnologia em 2022 | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Variedades » Um jornal de 1922 conseguiu prever várias coisas sobre a tecnologia em 2022

Um jornal de 1922 conseguiu prever várias coisas sobre a tecnologia em 2022

Compartilhe

A humanidade sempre tentou prever o futuro. Acertou em algumas vezes, e errou miseravelmente em outras. E esse exercício de futurologia pode ser algo bem divertido, dependendo do momento que vivemos em nossas vidas.

Em 7 de maio de 1922, o escritor W. L. George especulou sobre como seriam os avanços tecnológicos dentro dos próximos 100 anos, e publicou os seus pensamentos no jornal The New York Herald. E hoje, 5 de maio de 2022, faltando exato um dia para completar 100 anos dessas previsões, estou aqui para dizer que ELE ACERTOU EM PRATICAMENTE TUDO!

E isso é muito divertido e, ao mesmo tempo, assustador.

 

 

 

Mais visionário que Steve Jobs e Bill Gates?

É surpreendente ver como W. L. George foi capaz de antecipar uma grande quantidade de tecnologias que utilizamos até hoje, com enorme precisão. E essa surpresa se torna ainda maior quando pensamos que toda a tecnologia de ponta que a humanidade tinha naquela época se centrava em ferrovias, telefones fixos, carros, gramafones, aviões e cinema, entre outros.

Vou mencionar algumas de suas previsões mais emblemáticas.

“Voos comerciais serão comuns. Você pode viajar de Nova York a Londres em 12 horas.”

Tudo bem, hoje esse voo é feito em apenas 7 horas, mas não deixa de ser um acerto.

“Os cavalos não estarão mais nas estradas, e a maioria das pessoas, assim como os bens de consumo, não viajarão mais de trem, mas de carros e caminhões.”

Quando foi a última vez que a sua avó andou de cavalo para ir buscar leite e pão na padaria? Aposto que nem ela se lembra disso.

“O povo do ano 2022 não verá um único cabo no céu.”

Tá… não foi bem assim que aconteceu, mas existe uma explicação para essa previsão.

Em 1922, os cabos de telefonia, telégrafo e energia elétrica estavam bloqueando o céu de Nova York, e George imaginava que esse problema seria solucionado em 100 anos. Não aconteceu na prática, mas é inegável que as tecnologias de comunicação sem fio existem e são as mais utilizadas hoje.

“O telégrafo e os telefones vão funcionar sem fio, e até a eletricidade vai viajar pelo ar.”

Também não aconteceu exatamente como ele previu, mas tudo o que ele falou existe. Incluindo os carregadores sem fio.

“A energia será obtida das marés, do sol e de alguma energia irradiada, como a atômica.”

Aqui, ele acertou. Porém, não faz menção à energia eólica, tão presente em vários países da Europa.

“As figuras na tela não apenas se moverão, mas terão cores naturais e suas vozes originais. (…) Isso mudará completamente o cenário, porque as atrizes de 2022 não terão apenas que saber sorrir, mas também falar.”

É preciso explicar que, em 1922, os filmes eram em preto e branco, e o cinema mudo imperava. O primeiro filme falado só foi lançado em 1927. Ou seja, mais uma vez, ele acertou na previsão.

“As faxineiras (antes eram todas mulheres) terão uma profissão de 7 horas por dia. As mulheres do serviço serão pagas com um salário de profissional, vestirão suas próprias roupas, elas as chamarão ‘miss’ e eles terão seus próprios sindicatos e direitos.”

Entendeu, Paulo Guedes?

“A fumaça do carvão vai desaparecer das casas, substituída pela eletricidade. Até a fumaça do tabaco vai sumir.”

De fato, muitas pessoas pararam de fumar em casa pela saúde dos filhos, algo que agradeço. E sobre a energia elétrica, bem sabemos que isso é verdade, principalmente quando a conta de luz chega em nossas casas.

“Em 2022, as mulheres terão descartado a ideia de que sua única função é gerar filhos homens. A maioria terá carreira própria e muitas chegarão ao Congresso, à Justiça e talvez à Presidência.”

Previsão ousada para o seu tempo, ainda mais vinda de um homem, mas extremamente humanizada. Um ser humano à frente do seu tempo, é claro.

Por outro lado…

“Não acho que as mulheres tenham alcançado a igualdade com os homens. Um feminista cauteloso como eu percebe que essas coisas vão devagar e não podem ser apagadas em um século, mais de 30.000 anos de escravidão.”

E ele não podia estar mais certa neste caso. Infelizmente.

“Muito poucas pessoas trabalharão mais de 7 horas por dia, se eles aparecerem.”

Essa é uma realidade que persiste para a maioria das pessoas. Na prática, aconteceu o oposto: o trabalho remoto e os empregos precários fez com que a jornada de trabalho de muitos profissionais ultrapassasse as 8 horas diárias.

 

Para ler o artigo completo com todas as previsões feitas por W. L. George, clique aqui.

 


Compartilhe
@oEduardoMoreira