A Samsung vai mesmo lançar o tal smartphone dobrável. O Samsung Galaxy X vem aí, e muitos se perguntam como será esse dispositivo. Já outros tantos se perguntam se precisamos dele.

A necessidade da Samsung aqui é a inovação. Particularmente, depois de ser acusada de copiar a Apple no Galaxy SII, eu vi os coreanos se esforçando e muito para serem diferentes dos outros. E me atrevo a dizer que eles foram bem sucedidos em algumas dessas tentativas.

Muita gente riu quando a Samsung lançou a linha Galaxy Note, chamando aquele smartphone de “sandália havaiana”. No final das contas, eles se tornaram referência no setor, líderes nesse segmento, e até a Apple (quem diria) copiou a proposta (sem a canetinha, é óbvio, mas no formato de smartphone com grandes telas).

Muita gente também estranhou as primeiras versões dos smartphones da linha Edge. Nem mesmo a Samsung sabia direito o que fazer com aquelas telas curvas. Mas os caras aprenderam e desenvolveram um sinal de identidade aos seus dispositivos que acabou sendo copiado por tantos outros, levando muitos fabricantes a apostarem em uma tela full frontal.

Logo, é factível dizer que a Samsung ofereceu boas inovações ao mundo dos smartphones. Porém, a proposta agora é bem mais ousada e complexa.

Como será esse smartphone dobrável da Samsung. Ninguém faz ideia. E, se soubesse como seria, não contaria para ninguém.

Uma dúvida é se a Samsung vai entregar um smartphone realmente dobrável, ou seja, com a sua placa-mãe com componentes flexíveis. No passado, a empresa apresentou protótipos de telas flexíveis com componentes integrados, o que esboçava um futuro apontando para esse tal smartphone flexível de verdade. Porém, não dá para saber a que ponto eles desenvolveram esse conceito.

Leia também:  Microsoft quer se livrar da Nokia = ARREGOU!

Mas se a empresa decidiu anunciar o produto para 2018, é sinal que o primeiro modelo comercial pode mesmo chegar ao mercado. Com potencial para mudar as regras do jogo do mercado de telefonia.

Ou pelo menos apresentando uma revolução real no formato de telefonia.

É o que eu espero. De verdade.