cafeteira-drm

Um dos segredos do negócio das cafeteiras com cápsulas estão nos recipientes com doses exatas de café. Porém, as chegadas das chamadas cápsulas compatíveis incomodou alguns fabricantes. Uma dessas empresas incomodadas é a Green Mountain, que não satisfeita em conectar a sua cafeteira na internet, criou um sistema de DRM para tornar a mesma compatível apenas com as suas cápsulas.

Com a redução de sua cota de mercado pelo incipiente negócio das cápsulas compatíveis e recarregáveis, a empresa anunciou que os seus novos modelos de cafeteiras Keurig 2.0 (que chegarão ao mercado no final de 2014) integrarão uma tecnologia que impedirá os compradores de utilizarem outras cápsulas de café que não sejam as suas, ou daquelas marcas indicados pelo fabricante.

É isso mesmo que você acabou de ler: as limitações e controle de uso que fazemos dos produtos que nós compramos vão mudar de mãos, voltando para o fabricante. E isso, e um âmbito que não é o digital.

Por enquanto, não há detalhes sobre como vai funcionar essa limitação de uso dos cartuchos não licenciados, mas as empresas que estão fazendo dinheiro com os cartuchos compatíveis já estão iniciando os seus respectivos litígios legais, acusando a Green Mountain de monopólio.

Espero ver mais capítulos dessa novela em breve.

+info @ Wired