camera lg v30

A cada lançamento de smartphones top de linha, vemos os fabricantes apostando em determinadas características para conquistar os consumidores. A LG, com o LG V30, dá ênfase para a sua tela AMOLED e, agora, para o seu sensor de câmera traseira com abertura f/1.6.

Tal detalhe não demorou para abrir um debate sobre a sua qualidade, mas há vários aspectos a se considerar sobre a câmera de um smartphone. Nem tudo é abertura. Infelizmente.

Também é verdade que o LG V30 vai se transformar, por méritos próprios, o primeiro smartphone da história a contar com uma lente com abertura f/1.6, superando os onipresentes Galaxy S8/S8+, ambos com f/1.8. Mas a própria Samsung prova como abertura não é tudo.

Nos modelos de linha média, a Samsung usa sensores com abertua f/1.7. O Galaxy J7 2017 conta com essa abertura de lente, e nem de longe tem a mesma qualidade de câmera do Galaxy S8. E essa lógica me permite afirmar que LG V30 tem o melhor sensor fotográfico do ano, nem da história.

Há mais pontos a se considerar.

Uma boa abertura não garante resultados fotográficos de qualidade. Capturar mais luz em uma foto é importante, mas em pleno furor pelo melhor modo Retrato e desfoque no fundo, não faltou gente para enaltecer a câmera do LG V30 associando a qualidade pela abertura da câmera.

Mas no modo bokeh influi também um aspecto importante que até agora desconhecemos: a distância focal.

Não é a mesma coisa um f/1.6 a 50 mm de distância focal que um f/1.6 com 24 mm.

 

 

O LG G5 tem uma câmera dupla traseira com lente de 29 mm e outra de 12 mm grande angular. O LG G6 repetiu as distâncias focais. Nos modelos da linha V, vimos 28 mm no V10 e 29 mm no V20. Será que a LG vai repetir a jogada com o V30? É possível, e isso deve ajudar no desfoque, mas só na prática poderemos comprovar a sua eficiência.

Outro detalhe muito importante é que o bokeh obtido pelos smartphones é digital. É a combinação da imagem em primeiro plano e a do fundo, e depende da perícia de cada fabricante em obter os melhores resultados. Nenhuma delas ainda obteve um efeito desfoque perfeito. Pode ser que o LG V30 consiga. De novo, só vamos saber disso na prática.

Outros fatores nas câmeras de smartphones implicam na sua qualidade. As lentes, por exemplo. A Nokia sabi abem com quem estava se aliando quando fechou um acordo com a Carl Zeiss no passado, e repete a fórmula nas mãos da HMD.

A Huawei faz algo parecido com a Leica. Uma boa lente pode não ter efeito sobre uma foto, mas uma lente ruim com certeza vai prejudicar a imagem.

A LG conta com a Crystal Clear Glass, que promete uma alta qualidade. De novo, só na prática para comprovar.

 

 

Estabilizadores, de maior ou menor qualidade, ajudam a uma foto de melhor qualidade. O LG V30 terá OIS, um ponto a favor. Seu foco a laser vai ajudar em um disparo ainda mais rápido. Mas também vai influenciar o tamanho do sensor em si. A LG garante que ele será 30% menor que o do LG V20.

Nos sensores, quanto maior o tamanho, maior é a informação captada na cena. E a LG reduziu o seu sensor. Será que isso é o suficiente para obter fotos de boa qualidade? Veremos. Como também veremos o tamanho dos pixels.

Por último, mas não menos importante, o processamento da imagem no LG V30 será algo fundamental.

 

 

A LG mantém um nível elevado de fotografia há várias gerações de smartphones. Apesar das críticas sobre as imagens muito planas, LG G4, G5 e G6 contam com excelentes processamentos de imagem. É esperdo que o LG V30 não nos decepcione.

Vale lembrar que de todas as partes de uma câmera que influenciam nos bons resultados fotográficos em um smartphone, poucos detalhes conhecemos do sensor do LG V30, e alguns de formas parciais.

Talvez o LG V30 será uma autêntica besta nos aspectos fotográficos. Ou talvez não. Logo, menos hype e mais consciência. As câmeras só podem ser avaliadas na prática e, ainda assim, é difícil chegar a um consenso entre as diferentes opiniões.

Talvez quando o DxOMark, que é um juiz imparcial, pode nos dar um parecer. E, ainda assim, não acho que vai agradar a todos.