Uncharted: Fora do Mapa, um filme previsível e esquecível | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Cinema e TV » Uncharted: Fora do Mapa, um filme previsível e esquecível

Uncharted: Fora do Mapa, um filme previsível e esquecível

Compartilhe

Sabe aquele filme que você se esquece dele após a primeira hora, de tão previsível que ele é? Então… “Uncharted: Fora do Mapa” se encaixa nessa regra.

Aliás, só vou me lembrar desse filme porque tive que voltar para o meu apartamento embaixo de chuva, de bicicleta. Fora isso, não vejo motivos para me lembrar dessa história insípida e de roteiro apressado e mal construído.

Nem acho que é o caso de me decepcionar com o que eu vi, já que não esperava muita coisa da história baseada no popular jogo de videogame para PlayStation. Mas não esperava ver um caça níquel de forma tão descarada. Poderiam ter disfarçado um pouco!

 

 

 

E todos gritam: “estou aqui pelo dinheiro… pelo ouro…”

Nem mesmo Tom Holland salva, uma vez que ele está no filme mais para mostrar as suas habilidades físicas em cenas de ação do que para necessariamente atuar. Sem falar que Mark Wahlberg é tão sem carisma, que faz com que qualquer ator carismático perca talento.

A impressão que fica é que Wahlberg só funciona mesmo com um urso tarado.

E Antonio Banderas, que engordou a conta bancária para fazer um papel sem vergonha, atuando no modo automático? Meu amigo, você é ator indicado ao Oscar! Não é possível que ainda se preste a atuar em filme caça-níquel como esse!

O grande problema de “Uncharted: Fora do Mapa” é a sua previsibilidade. As soluções são óbvias, os plot twists sonolentos e a edição mal feita do filme torna tudo apressado e mal concebido. As situações mudam de forma abrupta, e com exceção do Nathan Drake (Holland), nenhum personagem é desenvolvido minimamente para que o espectador desperte algum tipo de empatia.

E, ainda assim, o passado de Drake é explorado de forma superficial, apenas para justificar os eventos que serão apresentados ao longo da jornada.

 

 

 

Violação das leis da física em estado puro

Mas o que dói mesmo é o festival de situações que entregam soluções que desafiam de forma agressiva toda e qualquer lei da física. E isso é algo tão irritante, que me fez desejar que qualquer filme da franquia ‘Velozes e Furiosos’ merecesse uma indicação ao Oscar por fazer exatamente a mesma coisa, só que bem feito.

No final das contas, “Uncharted: Fora do Mapa” é um filme que decepciona logo de cara, pois você já sabe que tudo dá certo no final. Se você gosta do Tom Holland fazendo o seu parkour com qualquer elemento inanimado da terra, do céu e do mar, vai ver sem medo de ser feliz.

E Nathan Drake faz de tudo nesse filme… mas não perde o cordão no pescoço com o anel do irmão dele de jeito nenhum!

Sério! História crível pra quê?


Compartilhe
@oEduardoMoreira