Eu passei alguns dias na minha cidade natal, Araçatuba (SP). Na verdade, ainda estou por aqui, pois não consegui decolar no voo de ontem (já escrevi sobre isso por aqui). Mas não é sobre os meus encontros e desencontros com a aviação brasileira que quero falar nesse post.

Nos dias que passei por aqui, tentei adquirir alguns itens que eu estava precisando. Um deles era um console Xbox, que me veio bem a calhar porque eu estava sem, e queria voltar a ter um videogame para me distrair da rotina diária.

Apesar de que considero que comprei o videogame muito mais por teimosia, pois sinto que não vou ter tempo para sentar diante da TV para jogar. Mas não vou pensar nisso agora.

O segundo item que eu tentei adquirir foi um smartphone de entrada, mais básico e seminovo, para servir de backup para algumas tarefas do mundo conectado.

E qual foi o lugar onde fui procurar esse item? O OLX, é claro.

O problema é que o araçatubense médio não sabe usar o OLX. Ou pelo menos usa da forma errada. Não que em outros lugares do Brasil o mesmo não aconteça, mas nesse caso, é um comportamento sui generis.

Para começar, vários anúncios que simplesmente ficam esquecidos no serviço, com produtos vendidos que não são removidos da lista de resultados pelos próprios vendedores. Eu procuro ter o cuidado de perguntar se o produto ainda está disponível, mas para muita gente tal comportamento passa batido.

Outro problema é a demora de resposta nos chats, ou as respostas evasivas. Entendo que o chat do OLX não é o melhor do mundo (está bem longe de ser), mas procuro remediar isso ficando atento ao chat, ou esperando por respostas, ou esperando por mudança de status de determinados produtos.

E é fundamental que os usuários removam os seus anúncios após a venda dos produtos.

Por fim, a dificuldade em fazer com que os usuários araçatubenses usem de forma eficiente a plataforma me desanima profundamente. Em um mundo conectado, toda a agilidade é necessária para fazer negócios.

Sem falar naqueles vendedores que querem empurrar produtos sem direito a teste. Lamentável.

Enfim, o pessoal de Araçatuba precisa de um coach training para usar o OLX. Algo que não me surpreende, e quem morou nessa cidade por mais de três décadas sabe do que eu estou falando.

Só não imaginava que iria sair da cidade sem o tal telefone que eu precisava, por pura falta de entendimento e discernimento dos usuários do OLX de Araçatuba.

Só espero que, no futuro, dias melhores virão.