A Xiaomi apresentou na semana passada novas Smart TVs que se destacam pela relação custo-benefício, que até dão a ideia de ser bom demais para ser verdade. O seu modelo de 55 polegadas é, hoje, a Smart TV 4K HDR mais barata do mercado.

Será que o preço atraente entrega uma boa qualidade?

Vamos tentar responder isso nesse post.

A série 4 da Xiaomi não fica muito atrás da concorrência no seu design. Fina e leve, está dentro da média para esse tipo de produto. Logo, nesse aspecto, comprar um produto de uma marca presente no mercado brasileiro e comprar um modelo da Xiaomi é basicamente a mesma coisa.

 

 

A Mi TV 4 vem com uma tela da Samsung com resolução de 3840 x 2160 pixels, taxa de contraste de 6000:1, latência de 8 milissegundos e ângulo de visão de 178 graus, além de um sistema de iluminação dinâmico, que se ajusta aos conteúdos a serem reproduzidos.

Essa TV recebe um processador quad-core, trabalhando com 2 GB de RAM e 8 GB de armazenamento, com WiFi dual-band 802.11ac e Bluetooth 4.0, além de dois alto-falantes de 8W com suporte para Dolby e DTS.

A Mi TV é baseada no Android, mas não é uma Android TV. É um Android personalizado com a interface PatchWalll, que tem muito de inteligência artificial que pode ser mais útil em alguns países do que em outros. Esse sistema se baseia mais no conteúdos do que nos apps, aprendendo com o gosto do usuário para fazer sugestões.

 

 

Os apps mais populares no Brasil não estão disponíveis nessa Smart TV, e se você instalar o aplicativo em separado na TV, ele não vai funcionar. Se bem que não deve demorar para aparecer formas de fazer o Netflix funcionar nessa TV.

Na conectividade, as TVs da Xiaomi não devem nada à concorrência. Na sua maioria, oferece três portas HDMI, uma porta Ethernet, uma porta digital, outra AV, porta USB 2.0 e outra 3.0,

 

 

No final das contas, não há como não dizer que as TVs da Xiaomi são excelentes opções, especialmente quando olhamos para suas características. As TVs de outros fabricantes com as mesmas especificações custam bem mais do que os 284 e 387 euros pelos modelos de 50 e 55 polegadas dos chineses, com raras exceções.

Logo, quem puder comprar, compre. Vale a pena. O difícil é trazer o produto de lá para cá.