Sempre que falamos de smartphones e meio ambiente, as conotações são negativas. Processos de fabricação e falhas na reciclagem justificam a má fama. Mas um projeto pode oferecer uma segunda vida aos dispositivos. E tem a ver com salvar a selva.

Os velhos smartphones fazem parte de um plano para denunciar o desmatamento ilegal e indiscriminado, já que contam com processadores que podem realizar várias tarefas ao mesmo tempo.

O projeto A Cleaner Future mostra o importante papel desses computadores de bolso na detecção e alerta de situações ilegais, por conta da escuta ativa dos microfones por um software especial de identificação de sons, criando uma monitorização em tempo real.

Contando com a ajuda de sistemas de recarga solar, eles podem ficar ligados o tempo todo no lugar onde uma tomada não está disponível. Logo, os smartphones formam redes de escuta e enviam avisos em função de determinados sons.

Os alertas podem ser causados por sons de músicas, em áreas onde não deveriam haver atividade ou até no caso de ouvir motosserras.

A escuta ativa faz com que um smartphone envie um alerta para frear a ação antes que os danos causados sejam irreversíveis. A maioria dos smartphones conta com um sistema de geolocalização, que podem indicar os pontos exatos da escuta, podendo inclusive elaborar rotas de deslocamento dos caminhões ilegais através de diferentes dispositivos colocados de forma estratégica.

É um pequeno grão de areia na praia dos cuidados do meio ambiente, mas uma conquista importante para paliar os danos causados pelos seres humanos na fabricação dos smartphones. É um projeto bem interessante, que demonstra que os avanços tecnológicos podem ter várias caras, e que tudo depende das intenções dos desenvolvedores de cada projeto.

 

 

 

Via Mashable