Ver muita TV pode deixar você (mais) burro | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Cinema e TV » Ver muita TV pode deixar você (mais) burro

Ver muita TV pode deixar você (mais) burro

Compartilhe

A TV não me deixou burro demais, apesar do Beavis and Butt-Head, do Hermes e Renato e da TV Senado nas últimas seis semanas. Mas há quem diga que esse eletrônico pode acabar com a nossa massa cinzenta com o passar do tempo.

E, sim… cientistas afirmam que o consumo da TV em excesso pode sim afetar a saúde do cérebro. Principalmente quando perdemos tempo assistindo a Game of Thrones e percebemos que a série não é lá tudo isso após aquele final que fez todo mundo de trouxa.

Tá, a informação do Game of Thrones é por minha conta, mas é o meu sentimento mais sincero sobre a pedante produção da HBO.

 

 

 

A televisão te deixou burro demais!

É duro reconhecer que a minha mãe estava com a razão o tempo todo.

Mas também é difícil constatar que pelo menos três estudos científicos já publicados confirmam que, na idade adulta, o excesso de televisão está diretamente vinculado a uma diminuição do desempenho cognitivo e da massa cinzenta do cérebro.

Traduzindo: a TV pode deixar você mais burro do que já é!

De novo: é difícil aceitar que assistir a programação do National Geographic pode me deixar tão ou mais burro que eu já sou, e na mesma proporção que aconteceria se eu assistisse todos os dias programas como Power Couple, Jersey Shore, a missa do RR Soares ou De Férias com o Ex.

A boa notícia é que o principal motivo para essa diminuição da inteligência ainda não está muito claro para quem estudou o assunto, mas a teoria mais aceita e sustentada pelos profissionais que estão perdendo tempo estudando o assunto (no lugar de assistir a um filme do Stallone, como qualquer pessoa normal) é que o ato de assistir televisão não exercita o suficiente o cérebro humano.

Em termos práticos, você não tem o que pensar quando assiste TV, mesmo quando o programa (em teoria) faz você pensar, como game shows e séries investigativas. Neste caso, ainda é uma atividade cognitiva passiva, o que é bem diferente do que tentar resolver uma questão de álgebra no vestibular.

 

 

 

Preciso parar de ver TV por causa disso?

Não. Mas quem sabe seria uma boa ideia desligar a TV e ler um livro, tal e como a MTV aconselhou no meio dos anos 2000.

O estudo concluiu que a deterioração do cérebro com o consumo de TV é mais acelerado nos idosos, e isso ficou bem claro para todo mundo de 2018 para frente (é cedo para fazer essa piada?). Mas para a audiência com idades entre 30 e 50 anos, consumir 2h30 de televisão todos os dias também resulta em efeitos negativos ao cérebro.

Ou seja, o remédio para não virar um eleitor irracional que segue qualquer idiotice que os políticos falam é diminuir as horas na frente da televisão, principalmente se você quer prevenir doenças como Alzheimer e Parkinson, que estão diretamente associadas ao sedentarismo.

A memória verbal do idoso começa a piorar quando o mesmo fica assistindo TV pelo menos 3h30 por dia. Por isso, vovôs e vovós, a minha dica é: quando for possível, vai fazer outra coisa da vida. Tipo tricotar, costurar, fazer palavras cruzadas, dançar e até (pasmem) sexo está valendo.

Fica a dica.


Compartilhe