Início » Games » Videogames podem ajudar na recuperação de cirurgias no cérebro

Videogames podem ajudar na recuperação de cirurgias no cérebro

Compartilhe

E mais uma vez eu venho aqui para jogar as verdades na cara dos pais e alguns “especialistas”, que nunca pegaram em um joystick na vida, mas insistem em afirmar bobagens sobre o mundo dos videogames. Entendo que é preciso conhecer o mínimo sobre o assunto para falar sobre ele. Logo, minha opinião (e provavelmente a sua, que tem 40 anos ou menos) conta muito sobre esse tema.

Muitos imbecis tentam criminalizar o uso dos videogames a todo custo, baseado em convicções sem fundamento e qualquer tipo de comprovação científica. Por isso, pessoas como eu precisam produzir e compartilhar conteúdos que esclareçam a questão para o grande público, desmentindo os idiotas a todo custo.

 

 

 

Você funciona melhor quando joga videogames

 

 

Um recente estudo realizado por pesquisadores da Ohio State College of Medicine revela que o uso dos videogames pode prevenir delírios e ajudar na recuperação pós-operatória do cérebro. Dois efeitos colaterais mais do que desejados por aqueles que passam por problemas desse porte.

O mais interessante do estudo é a faixa etária que foi beneficiada pelos videogames. O experimento envolveu pacientes com idades acima de 60 anos que passariam por uma intervenção cirúrgica cerebral. Para cada um deles foi entregue um tablet cheio de videogames.

Estamos falando justamente da geração que mais repudia a validade dos videogames para o bom desenvolvimento psicológico, emocional e moral do indivíduo, onde alguns políticos dentro desse grupo etário vão até a imprensa para falar um monte de besteiras sem sentido, mostrando enorme desconhecimento sobre o assunto.

A recomendação dada pelos pesquisadores é que os pacientes que iriam passar pela cirurgia jogassem pelo menos uma hora diária antes da intervenção. Alguns fizeram isso dez dias antes do procedimento, enquanto que outros passaram pela experiência cinco dias antes.

 

 

Os resultados são interessantes. Obviamente, nem todos os idosos jogaram tanto tempo quanto solicitados pelos especialistas, mas aqueles que o fizeram alcançaram alguns benefícios. Quem exercitou o cérebro por pelo menos dez horas ou mais reduziram as possibilidades de delírio pós-operatório em 61%.

Para quem não sabe, o delírio é um sintoma comportamental relativamente comum, afetando mais de um terço das pessoas hospitalizadas no Reino Unido, o que obriga ao paciente a passar por uma recuperação mais lenta e obrigatória dentro do hospital. Se o uso dos videogames ajudam em uma recuperação mais rápida, ótimo!

A ideia do estudo é fazer com que o cérebro se prepare para uma cirurgia tão invasiva, mantendo a mente ativa com pequenos desafios de forma constante. Nesse aspecto, não só os videogames podem ser bem úteis, como qualquer tipo de entretenimento que você coloca na frente da pessoa, como jogos de tabuleiro ou sudokus.

 

 

 

Outros benefícios dos videogames

 

 

De novo: quem fala que os videogames são os culpados por todos os males do mundo e da violência de coletivo são verdadeiros idiotas que não sabem do que está falando.

O uso constante dos videogames ajuda a exercitar a memória, a velocidade de raciocínio e a atenção em algumas tarefas. Também promovem a flexibilidade e as habilidades para a resolução dos desafios. É a ciência falando tudo isso.

Os investigadores do estudo reconhecem que precisam realizar mais análises para detectar melhor a influência dos videogames e, principalmente, qual é o tempo que a pessoa precisa jogar para efetivamente reduzir a diminuição de riscos de delírios. Porém, as evidências apresentadas de forma preliminar são mais do que promissoras.

 

 

Via Daily Mail, JAMA Sugery


Compartilhe