Vou lançar meu novo filme em NFT para apenas 5.555 pessoas: “o que pode dar errado?” | @oEduardoMoreira Press "Enter" to skip to content
Início » Cinema e TV » Vou lançar meu novo filme em NFT para apenas 5.555 pessoas: “o que pode dar errado?”

Vou lançar meu novo filme em NFT para apenas 5.555 pessoas: “o que pode dar errado?”

Compartilhe

Eu ainda penso que essa moda do NFT vai fazer muitas pessoas darem com os burros na água ou coisa pior (perder muito dinheiro sempre pode ser algo muito pior). Mas enquanto o desastre não acontece, vamos compartilhando notícias pitorescas sobre o assunto.

Kevin Smith teve uma ideia que pode dar muito certo ou conta com enorme potencial para o desastre: decidiu que o seu novo filme, ‘KillRoy was here’, só terá 5.555 cópias disponíveis em formato NFT.

Ou seja, apenas essas pessoas (e, quem sabe, seus amigos e familiares) poderão ver essa antologia que combina comédia e terror.

Como isso vai funcionar (se é que vai funcionar)?

 

 

 

Como assistir ao filme ‘KillRoy was here’

Essa manobra comercial de Kevin Smith consiste no lançamento do filme em uma plataforma específica, e em um pacote de conteúdos mais específico ainda. Nele, o comprador vai encontrar o filme, vídeos de comentários, making of e uma arte exclusiva.

E, antes que você pergunte, é isso mesmo que você está pensando: se você não comprar o NFT de ‘KillRoy was here’, não terá a chance de ver o filme. Apenas os 5.555 compradores dos itens poderão assistir ao longa.

Simples assim.

Kevin Smith também afirma que os compradores de ‘KillRoy was here’ poderão fazer o que quiser com o filme depois da compra, incluindo a edição e o licenciamento para outras mídias e até mesmo o direito de trabalhar (ou “colaborar artisticamente” como queira) na sua possível sequência.

Para quem não sabe, o termo ‘KillRoy was here’ faz referência a um grafite da II Guerra Mundial, o ‘Kilroy was here’. O longa é uma antologia que Smith levou cinco anos para terminar (ele começou o projeto em 2018).

 

 

 

Isso vai dar certo?

Sei lá. Se eu pudesse prever o futuro, estava milionário, e não escrevendo em blogs que (quase) ninguém lê.

Mas o que posso dizer é que, em temos onde a venda de NFT está despencando, alguém em Hollywood parece ter reagido tarde demais para apostar em uma febre que tende a desaparecer.

Tem que ser muito fã das obras de Kevin Smith para investir uma grana violenta em ‘KillRoy was here’. E como eu não sou fanático nele e não tenho esse dinheiro sobrando na minha conta bancária, me limito a acompanhar pacientemente a repercussão e as consequências dessa iniciativa.

Repito: ou é uma mina de ouro recém-descoberta, ou será o motivo para muita gente fazer filme merda para pagar vários boletos de dívidas pendentes.

Não foge muito de uma dessas duas coisas.


Compartilhe
@oEduardoMoreira